Continua após publicidade

Paulistano de 5 anos é o mais jovem a descobrir asteroides no mundo

Miro Latansio Tsai fala inglês e chinês e aprendeu a ler aos 3 anos na pandemia

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
12 fev 2022, 12h09

O pequeno Miro Latansio Tsai, de apenas cinco anos de idade, é a pessoa mais jovem do mundo a identificar asteroides. Ele descobriu 15 corpos celestes que foram aprovados em preliminares pelo International Astronomical Search Collaboration (IASC) e pela Agência Espacial Americana (NASA).

A mãe de Miro, a advogada Carla Latansio, conta que o filho sempre preferiu museus aos parquinhos e citou nomes de planetas no Museu Catavento aos 2 anos.

Eu e meu marido não trabalhamos com nada relacionado à ciência. Esse episódio do museu foi surpreendente porque não tínhamos a menor ideia de que ele sabia o nome dos planetas. Ele provavelmente deve ter visto em desenhos e aprendido. Já com três anos, o Miro pedia para ver documentários sobre o espaço sideral e começava a contar para nós a existência de buracos negros. Essa foi a hora que a gente descobriu que não era um saber pontual, mas um gosto muito particular e amado por ele”, conta em entrevista ao O Globo.

+Foi objeto extraterrestre mesmo: estudo da USP desvenda cratera de Colônia

O garoto também tem habilidade com línguas. Miro é fluente em inglês e está aprendendo mandarim com o pai, o administrador chinês Jack Tsai. “Ele não é desenvolvido só na parte da fala, mas em toda a parte cognitiva. Ele tem um raciocínio muito avançado para a idade. Miro sempre teve interesse muito grande por ciência e tecnologia, sempre foi curioso e queria entender como as coisas aconteciam”, diz a mãe ao g1.

Continua após a publicidade

“Ele fazia perguntas como ‘por que o sol é quente e a lua não?’ Perguntava tudo, ficava horas analisando um formigueiro, um sapinho, sempre foi muito investigativo. Na livraria eu mostrava livros infantis e ele não queria, ia direto nos atlas. Ele decorou como funciona o sistema digestivo e dava uma aula para a gente, os pais”, continua.

A mãe ainda conta que Miro falava frases completas com um ano e meio como “Eu quero ir embora”, e deu os primeiros passos aos 9 meses. O menino começou a ler durante a pandemia, aos 3 anos.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.