Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dentista oferece atendimento gratuito em bairros da periferia

Carla Renata Sarni comanda o Instituto Sorridents e percorre regiões carentes da cidade

Por Sara Ferrari 15 dez 2017, 06h00

A dentista Carla Renata Sarni, de 44 anos, construiu a rede Sorridents — formada por 240 clínicas odontológicas — com muito esforço. Nascida em Pitangueiras, no interior de São Paulo, vendia água e bombons na porta da faculdade para pagar os estudos. Deu duro em dois empregos ao mesmo tempo até abrir seu primeiro consultório na capital, em 1995.

Nessa época, deu início a ações sociais em bairros carentes, que sofrem com um precário serviço de saúde bucal. O trabalho foi formalizado e continua ainda hoje com o Instituto Sorridents, fundado em 2009. A entidade atendeu até agora mais de 100 000 pessoas, principalmente crianças e adolescentes.

Um consultório itinerante foi montado em uma van que roda pela cidade diariamente e estaciona em regiões periféricas, como
M’Boi Mirim, Capão Redondo e Paraisópolis, quase sempre em escolas ou eventos. O atendimento, pré-agendado e básico, envolve avaliação, orientação odontológica e distribuição de kits para escovação.

Para 2018, o instituto pretende inaugurar um espaço fixo a fim de realizar procedimentos mais complexos, como cirurgias e implantes.

Há ainda outras ações pontuais, como a que se deu no sertão de Pernambuco em setembro. Um mutirão movimentou um time de dezessete dentistas voluntários, durante oito dias, para atender 1 800 pacientes. “O sorriso pode transformar a vida das pessoas”, afirma Carla.

A jovem Nayara Viana, moradora da Vila Marieta, na Zona Leste, foi uma das beneficiadas pela organização. Aos 14 anos, ela abandonou a escola depois de ter virado alvo de chacota entre os colegas. O motivo: havia quebrado os dentes da frente. Com a intervenção do projeto, a garota teve o sorriso revitalizado, e sua autoestima voltou. Nayara, então, retomou os estudos.

O orçamento mensal do instituto gira em torno de 80 000 reais, considerando-se o salário dos profissionais, o transporte e os equipamentos. Parte do lucro das clínicas Sorridents e de eventos beneficentes ajuda nas contas. “Você planta o bem e colhe o bem”, ensina a dentista.

Instituto Sorridents. institutosorridents.org.br

  • Continua após a publicidade
    Publicidade