Clique e assine por apenas 6,90/mês

Pai, madrasta e marido de suspeita de matar rival são presos

O crime, que teria a ver com uma postagem ofensiva na internet, ocorreu em Santos

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 25 jan 2018, 16h16 - Publicado em 25 jan 2018, 16h01

O pai, a madrasta e o marido de suspeita de matar rival a facadas em Santos, no litoral, foram presos nesta quarta (24). As informações são do site G1. A comerciante Angelica da Cruz, 27 anos, já havia se entregado à polícia no dia 16 após fugir do local do crime e ter a prisão preventiva decretada.

Ela é a principal suspeita do assassinato no último dia 13 da auxiliar administrativa Érica Oliveira da Silva, 24 anos, durante uma briga no bairro Monte Cabrão, em Santos. Duas irmãs da vítima também foram feridas.

Os familiares de Angelica tiveram a prisão preventiva decretada após também serem indiciados por homicídio. A linha de investigação é que os parentes a ajudaram no crime.

A polícia apura se a ação foi motivada por uma antiga rivalidade das duas, culminando na disputa por um emprego. Segundo parentes, o desentendimento mais recente ocorreu depois que Érica foi contratada. No dia anterior ao crime, a vítima publicou no Facebook uma mensagem ofensiva interpretada por Angélica como uma indireta.

O caso

Érica e as irmãs Débora, Daniele e Rafaela andavam em frente à casa de Angelica na noite do último dia 14 quando a discussão começou. Daniele foi atingida por três facadas que perfuraram pulmão e intestino. Débora levou um golpe na região da barriga. Ambas passaram por cirurgias.

Em entrevista ao G1, o advogado de Angelica alegou que ela agiu em legítima defesa. Os familiares da vítima contestam e acusam outros parentes de participação no crime. De acordo com Rafaela Oliveira, 21, Érica e as irmãs foram cercadas e imobilizadas pelas família da rival no momento da discussão.

Continua após a publicidade
Publicidade