Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Obra em rodovia revela fósseis de dinossauro no interior de SP

Animal viveu há pelo menos 65 milhões de anos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 2 out 2021, 14h58 - Publicado em 2 out 2021, 14h55

Uma escavação de obra de duplicação da Rodovia Rachid Rayes (SP-333), na altura do km-341, em Marília, no interior de São Paulo, revelou partes do fêmur e da costela de um dinossauro que viveu há pelo menos 65 milhões de anos.

Localizado por funcionários da Entrevias Concessionária de Rodovias, o fêmur do animal tem 50 centímetros de comprimento e estava a cerca de cinco metros de profundidade da superfície. Durante uma hora, técnicos de engenharia e de meio ambiente da concessionária e uma geóloga fizeram a retirada do fóssil.

Mais tarde, o paleontólogo Willian Nava, responsável pelo Museu de Paleontologia de Marília, e o geólogo Nilson Bernardi, foram até o local e encontraram mais uma parte do corpo do animal. “Localizamos um fragmento que possivelmente pertence à costela do animal. Esse fragmento tem cerca de 45 centímetros de comprimento e, como estava próximo de onde a primeira parte foi encontrada, acreditamos que seja do mesmo dinossauro”, conta Nava.

Acredita-se os fragmentos pertencem a um Titanossauro, que viveu no período Cretáceo (conhecido como período final da “Era dos Dinossauros”). Estudos indicam que esses animais eram herbívoros, mediam de 9 a 12 metros de comprimento e pesavam até 13 toneladas.

Essa não é a primeira vez que fósseis são descobertos na região. Em maio deste ano, de acordo com a ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), um exemplar de fêmur foi encontrado.

Continua após a publicidade

Em 2009, paleontólogos encontraram 70% do esqueleto da mesma espécie. Na época, as peças, que somavam mais de 50, foram encaminhadas para a UnB (Universidade de Brasília).

“Os fósseis só comprovam a nossa convicção de que a região centro-oeste do estado de São Paulo foi muito habitada por dinossauros, principalmente os Titanossauros. Ainda teremos muitas dessas surpresas”, diz Nava.

 

Continua após a publicidade

Publicidade