Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Nova greve dos motoristas deixa 1,5 milhão sem ônibus na capital

Eles cruzaram os braços por reivindicações não atendidas tais como horário de almoço não remunerado e PLR; rodízio está suspenso

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 jun 2022, 10h40 - Publicado em 29 jun 2022, 10h21

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus deflagrada à 0h desta quarta-feira (29) na cidade de São Paulo atingiu 1,5 milhão de passageiros, segundo a empresa que gerencia o transporte público na capital, a SPTrans.

+Governo de SP credita redução na letalidade policial às câmeras policiais

Das 150 linhas que operam na madrugada, 88 não rodaram. Durante o dia, 675 linhas, que operam 6 008 ônibus, não saíram das garagens.

A prefeitura informou que os trabalhadores desrespeitaram a decisão judicial que determinou a manutenção de 80% da frota operando nos horários de pico e 60% nos demais horários.

+Elizabeth II agradece cartão enviado por alunos do colégio Santa Cruz

A greve é a segunda realizada neste mês. No dia 14 de junho, os motoristas e cobradores de ônibus da capital paralisaram por 15 horas, porque queriam um reajuste salarial de 12,5% e deixaram 2,7 milhões de passageiros a pé.  Foi feito um acordo entre as empresas e os trabalhadores intermediada pelo vereador Milton Leite (União Brasil), o que chegou a ser comemorado em vídeo postado nas redes sociais do prefeito Ricardo Nunes (MDB) à época.

Continua após a publicidade

A paralisação desta quarta foi decidida em assembleia nesta terça-feira (28). Com isso, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) decidiu suspender o rodízio para veículos com placas finais 5 e 6. Além disso, as faixas de ônibus ficarão liberadas para circulação de carros enquanto durar a greve.

Uma reunião está marcada para a tarde desta terça-feira na Justiça do Trabalho. Dependendo do resultado, pode indicar o fim da greve. Os trabalhadores devem voltar a se reunir às 16h.

+“Ninguém merece ter a privacidade invadida”, diz aluno filmado em banheiro

Confira abaixo quais são as viações que estão paralisadas:

  • Santa Brígida (Zona Norte);
  • Gato Preto (Zona Norte);
  • Sambaíba (Zona Norte);
  • Viação Metrópole (Zona Leste);
  • Ambiental (Zona Leste);
  • Via Sudeste (Zona Sudeste);
  • Campo Belo (Zona Sul);
  • Viação Grajaú (Zona Sul);
  • Gatusa (Zona Sul);
  • KBPX (Zona Sul);
  • MobiBrasil (Zona Sul);
  • Viação Metrópole (Zona Sul);
  • Transppass (Zona Oeste);
  • Gato Preto (Zona Oeste).

Abaixo, as que estão rodando

  • Norte Buss (Zona Norte):
  • Spencer (Zona Norte);
  • Express (Zona Leste);
  • Transunião (Zona Leste);
  • UPBUS (Zona Leste);
  • Pêssego (Zona Leste);
  • Allibus (Zona Leste);
  • Transunião (Zona Sudeste);
  • MoveBuss (Zona Leste);
  • A2 Transportes (Zona Sul);
  • Transwolff (Zona Sul);
  • Transcap (Zona Oeste);
  • Alfa Rodobus (Zona Oeste)

Fonte: SPTrans

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês