Clique e assine por apenas 5,90/mês

Neymar será investigado pela polícia por divulgar fotos íntimas de mulher

Jogador expôs imagens de uma brasileira que registrou um boletim de ocorrência acusando o atacante de estupro

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 3 jun 2019, 12h30 - Publicado em 2 jun 2019, 14h20

A Polícia Civil vai abrir um inquérito para investigar o atacante Neymar, após ele ter sido acusado de estupro. O jogador também será investigado por divulgar fotos íntimas da mulher que o denunciou.

Neymar postou um vídeo de mais de sete minutos no Instagram para se defender das acusações. Durante a gravação, expôs o que diz ser o conteúdo da conversa que teve com a suposta vítima no WhatsApp. Entre as mensagens, havia fotos íntimas da mulher. Ambos terão os celulares periciados pela polícia.

No sábado, a notícia de que Neymar teria estuprado uma garota ganhou a página dos jornais, depois do conteúdo de um boletim de ocorrência vir a público. No documento, uma brasileira afirmava ter sido estuprada pelo jogador em Paris, capital da França e cidade onde ele vive.

Segundo o Globo Esporte, a Polícia Civil esteve neste domingo (2) na Granja Comary, em Teresópolis, onde Neymar se prepara para disputar a Copa América pela seleção brasileira.

O Código Penal prevê pena de um a cinco anos de prisão a quem “oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”.

Continua após a publicidade
Publicidade