Clique e assine por apenas 6,90/mês

Morre André Matos, fundador do Viper e Angra

Vocalista de agudo impressionante tinha 47 anos

Por Sérgio Quintella - Atualizado em 8 Jun 2019, 17h59 - Publicado em 8 Jun 2019, 15h07

Morreu neste sábado o vocalista, pianista e regente orquestral Andre Matos, um dos fundadores das bandas brasileiras Viper e Angra. O músico tinha 47 anos e era o principal nome do metal melódico do país. A morte foi confirmada pelo baterista Ricardo Confessori, que tocou com Matos em vários períodos da carreira.  A causa do óbito ainda não foi informada.

André se apresentou no último domingo no Espaço das Américas, em São Paulo, no projeto Avantasia, criado em 2001 pelo vocalista do grupo alemão Edguy, Tobias Sammet. Amigo de infância e companheiro de Viper nos anos 80 e início dos 90, o guitarrista Felipe Machado diz estar perdido. “Estou chocado, muito triste. Ainda não sei os detalhes, mas sei que ele fez um super show na semana passada, estava bem. Não sei o que pode ter acontecido. Só sei que o Brasil perde o nosso maior vocalista de rock, a voz mais incrível, uma pianista talentoso. Nem sei o que dizer”.

A carreira de André Matos começou nos anos 80, quando fundou o Viper em 8 de abril de 1985. Em 1991 formou o Angra, juntamente com o guitarrista Kiko Loureiro, hoje no Megadeth. Da união saíram três discos memoráveis (Angels Cry (1993), Holy Land (1996) e Fireworks (1998). Em 1994, participou do processo seletivo para a vaga de vocalista no Iron Maiden, após a saída de Bruce Dickinson. O posto ficou com Blaze Bayley. Após a saída do Angra, o cantor criou o Shaman, juntamente com alguns remanescentes do grupo, como Luis Mariutti e Ricardo Confessori. O projeto terminou e André Matos formou banda solo e se apresentou nos últimos anos relembrando álbuns lançados há vinte, trinta anos, como Theatre of Fate e Soldiers of Sunrise (Viper) e Angels Cry e Holy Land (Angra).

Abaixo, vídeo do Viper no início da carreira. A apresentação quase resultou em tragédia.

Continua após a publicidade

 

Publicidade