Clique e assine por apenas 6,90/mês

Biblioteca do MAM vira espaço de exposição

Paredes trazem quadros com 322 páginas do livro "Rayuela", do escritor argentino Julio Cortázar

Por Mauricio Xavier [Com reportagem de Catarina Cicarelli e Isabella Villalba] - Atualizado em 5 Dec 2016, 18h12 - Publicado em 2 Apr 2011, 00h51

A Biblioteca Paulo Mendes de Almeida, localizada dentro do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no Parque do Ibirapuera, também virou espaço de exposição: agora as paredes trazem quadros da mineira Marilá Dardot. Trata-se da série “Rayuela”, que consiste em reproduções de 322 das 644 páginas (exatamente a metade) de uma das edições do livro homônimo do escritor argentino Julio Cortázar (em português, “O Jogo da Amarelinha”, publicado em 1963).

As cópias trazem intervenções da artista, que apagou diversos trechos do texto, deixando lacunas entre as frases ou páginas inteiramente em branco. Criada em 2005 e adquirida em janeiro deste ano pelo museu do colecionador Pedro Barbosa, a obra não tem data para sair da biblioteca. No sábado (9), às 11h, Marilá guiará uma visita ao local.

Publicidade