Clique e assine por apenas 6,90/mês

“Não deixaram eu socorrer meu filho”, diz mãe de jovem morto após abordagem da PM

Rogério Ferreira morreu no dia do seu aniversário de 19 anos na Zona Sul da cidade

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 12 ago 2020, 16h00 - Publicado em 12 ago 2020, 15h42

Roseane da Silva Ribeiro, mãe de Rogério Ferreira da Silva Júnior, o jovem de 19 anos que morreu na Zona Sul da capital paulista após uma abordagem policial no último domingo (9), afirmou em entrevista que a polícia não permitiu o socorro ao seu filho.

Rogério morreu quando comemorava seu aniversário. Ele dava uma volta de moto na Avenida dos Pedrosos, Sacomã, quando foi abordado por policiais militares. Imagens de segurança mostram o rapaz caindo e sangrando no chão depois de ser cercado por agentes.

Em entrevista para o programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, Roseane acusou os agentes de não permitirem o socorro do rapaz. “Chegando lá já estava o bairro inteiro lá para tentar socorrer, mas eles não deixaram socorreu meu filho. Eu implorei, pedi pelo amor de Deus para deixarem a gente socorrer”.

Ela contou também que só após cerca de 30 minutos de insistência os agentes permitiram que o rapaz fosse levado para um hospital. Um vizinho levou Rogério de carro, mas ele chegou no local já sem vida.

A Polícia Civil e a Corregedoria da PM investigam o episódio, mas afirmaram que entenderam que na situação os agentes agiram em “legítima defesa”, o que pode mudar ao decorrer do caso.

Continua após a publicidade
Publicidade