Clique e assine por apenas 6,90/mês

Mãe do atirador de Campinas não sabe do crime cometido pelo filho

Corpo foi enterrado no chão, local reservado para pessoas humildes ou indigentes

Por João Batista Jr. - Atualizado em 2 Jan 2017, 15h53 - Publicado em 2 Jan 2017, 15h33

Autor da chacina de Campinas, em que executou a tiros a ex-mulher, Isamara Filier, 41 anos, e o filho João Victor, 8, Sidnei Ramis de Araújo foi enterrado na manhã desta terça (2) no Cemitério Municipal de Jaguariúna, onde mora seus pais. O corpo dele chegou no domingo (1º) às 19h30. Seus parentes não o velaram de madrugada, retomando as rezas hoje pela manhã. Araújo foi sepultado no chão de terra, sem lápide, onde em geral ficam pessoas sem recursos ou indigentes. O corpo fica 3 anos nesse local – até a ossada ser removida para dar ceder espaço.

Havia cerca de 20 pessoas no enterro, todos parentes. Segundo funcionários do cemitério, a mãe do assassino foi poupada – ela não sabe que o filho matou doze pessoas. Foi informada que ele cometeu suicídio por ter problemas com a ex-mulher.

Os disparos foram dados por uma pistola 9 mm. Araújo, no entanto, também carregava dez artefatos explosivos. Ele deixou um áudio para se desculpar do que “poderia acontecer”. 

Sidnei Ramis Araújo cometeu a chacina na virada do ano, quando invadiu uma casa onde seu filho e ex-mulher estava. Ele atirou em quase todos os presentes depois de pular um muro, para depois tirar a própria vida. Onze pessoas moram no local e uma outra faleceu a caminho do hospital. O ex-casal brigava na Justiça pela guarda do filho.

Publicidade