Mãe do atirador de Campinas não sabe do crime cometido pelo filho

Corpo foi enterrado no chão, local reservado para pessoas humildes ou indigentes

Autor da chacina de Campinas, em que executou a tiros a ex-mulher, Isamara Filier, 41 anos, e o filho João Victor, 8, Sidnei Ramis de Araújo foi enterrado na manhã desta terça (2) no Cemitério Municipal de Jaguariúna, onde mora seus pais. O corpo dele chegou no domingo (1º) às 19h30. Seus parentes não o velaram de madrugada, retomando as rezas hoje pela manhã. Araújo foi sepultado no chão de terra, sem lápide, onde em geral ficam pessoas sem recursos ou indigentes. O corpo fica 3 anos nesse local – até a ossada ser removida para dar ceder espaço.

Havia cerca de 20 pessoas no enterro, todos parentes. Segundo funcionários do cemitério, a mãe do assassino foi poupada – ela não sabe que o filho matou doze pessoas. Foi informada que ele cometeu suicídio por ter problemas com a ex-mulher.

Os disparos foram dados por uma pistola 9 mm. Araújo, no entanto, também carregava dez artefatos explosivos. Ele deixou um áudio para se desculpar do que “poderia acontecer”. 

Sidnei Ramis Araújo cometeu a chacina na virada do ano, quando invadiu uma casa onde seu filho e ex-mulher estava. Ele atirou em quase todos os presentes depois de pular um muro, para depois tirar a própria vida. Onze pessoas moram no local e uma outra faleceu a caminho do hospital. O ex-casal brigava na Justiça pela guarda do filho.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. José Rios Jr.

    Nunca vi nada tão mal escrito na vida!

  2. JUREMA L F SAMPAIO

    “[…] onde moraM seus pais.” Concordância ainda não caiu de moda…

  3. Rnatto Lopes (Rê)

    Nossa, quanto erro em uma matéria tão pequena. Palavras erradas, falta de concordância.
    Olha só esse fechamento da matéria… “Onze pessoas MORAM no local e uma outra faleceu a caminho do hospital”…
    O correto seria: 11 pessoas moram ou” morreram”…!?

  4. Débora Debby

    Olha, o caso é triste mas o português dos jornalistas está de chorar também…

  5. Rodolfo Nogueira

    Jornalistas não precisam mais de diploma, o resultado é essa matéria mal escrita