Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Lázaro é visto por morador em gruta e polícia faz cerco neste sábado (19)

Policiais buscam pelo criminoso há 11 dias com a ajuda de cães farejadores, helicópteros e drones de visão térmica

Por Redação VEJA São Paulo 19 jun 2021, 18h22

Policiais montaram um cerco uma gruta na região de Águas Lindas de Goiás, no entorno do DF, na manhã deste sábado (19) para tentar capturar Lázaro Barbosa, 32, que está como fugitivo há 11 dias.

Um morador da região foi quem denunciou, na noite da última sexta-feira (18), que o criminoso estava se escondendo na gruta.

Lázaro mobiliza integrantes de elite das polícias Civil, Militar, e Federal nas buscas. Durante os trabalhos são usados helicópteros, drones com visão térmica, cães farejadores, equipamentos com visão noturna e forte armamento.

QUEM É LÁZARO
Segundo o UOL, Lázaro nasceu na Bahia, na cidade de Barra do Mendes. Seu primeiro crime foi cometido aos 20 anos de idade, quando foi condenado por assassinato na sua cidade natal, mas não foi preso.

Voltou a entrar no radar da polícia em 2011, três anos depois do primeiro delito, em Brasília. Ele foi condenado por estupro e roubo, usando arma de fogo.

Foragido, em março de 2018 chegou a ser preso em Goiás, na cidade de Águas Lindas, mas acabou escapando do cárcere. Em 2020 o homem teria entrado em uma chácara na região de Brasília e agredido idosos, dando uma machadada na cabeça de um deles, onde foi indiciado por tentativa de latrocínio, segundo o UOL.

O crime que deu início a perseguição atual ocorreu na madrugada do dia 9 de junho: Lázaro é suspeito de assassinar quatro pessoas em uma fazenda na cidade de Ceilândia, Distrito Federal. Ele teria sequestrado a mulher Cleonice Marques, 43, depois de assassinar o marido dela, Cláudio Vidal, 48 e os filhos do homem, Carlos Eduardo, de 15 anos e Gustavo Vidal, de 21. Cleonice foi encontrada morta pela polícia.

Depois do crime, ele foi avistado na cidade de Cocalzinho, também no Distrito Federal. Teria entrado na casa de um policial militar, na zona rural e quando o agente chegou ao endereço, ele levou o caseiro da fazenda como refém. Após o caso, segundo a polícia, Lázaro entrou em outra fazenda, baleou três pessoas que ali estavam e tentou colocar fogo na propriedade. A PM chegou a ir até o local, mas houve troca de tiros com Lázaro e ele fugiu para a mata.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade