Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Morte do ator Luiz Carlos de Araújo foi acidental, diz laudo do IML

Artista foi encontrado sem vida com um saco plástico na cabeça em um apartamento no centro de São Paulo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 23 set 2021, 10h11 - Publicado em 23 set 2021, 10h07

O Instituto Médico Legal (IML) concluiu o laudo da morte do ator Luiz Carlos de Araújo. Segundo o documento divulgado na quarta-feria (22), a morte foi acidental causada por asfixia e uso de drogas.

O corpo do ator foi encontrado por amigos e pela Polícia Militar em um apartamento no centro de São Paulo no dia 11 de setembro. Ele tinha 42 anos e ficou conhecido por ter atuado na novela Carinha de Anjo, do SBT.

Como havia deixado de responder mensagens no celular, amigos ficaram preocupados e foram até o local. Com a PM, chamaram um chaveiro para abrir a porta e encontram Luiz Carlos sobre a cama, com um saco plástico na cabeça.

Ele teria usado o saco para aliviar a ansiedade, de acordo com exame necroscópico e informações da investigação, o que aumentou o teor de dióxido de carbono e reduziu o de oxigênio. A técnica polêmica conhecida na literatura médica como re-respiração consiste em colocar um saco de papel na boca e assoprá-lo.

Segundo a delegacia, a perícia médica informou que a asfixia associada ao uso de antidepressivos, bebida alcoólica e cocaína fizeram com que o ator perdesse a consciência, levando-o à“morte acidental”.

O inquérito do caso, no entanto, ainda não foi concluído. A Polícia ainda aguarda exame do  Instituto de Criminalística (IC) sobre o local onde o corpo foi encontrado e o depoimento de vizinhos de Luiz Carlos. 

Continua após a publicidade
Publicidade