Iluminação ruim cria insegurança na ciclovia da Avenida Sumaré

Frequentadores relatam casos de assaltos e tentativas de abordagem durante a noite

Além de buracos e desníveis, o risco de assaltos também está tirando a tranquilidade de ciclistas que frequentam a ciclovia da Avenida Sumaré, na Zona Oeste da capital paulista. “Eu uso a ciclovia da Sumaré todos os dias e, já ouvi relatos de assaltos ali. Recentemente, dois meninos de bicicleta tentaram me abordar. Eu percebi que estavam me seguindo, desviei de caminho e tive que ir para o outro lado da rua”, relatou uma ciclista que preferiu não se identificar.

A escuridão, postes no meio do caminho e espaço estreito também dificultam o trajeto dos ciclistas. À noite, não há iluminação e o risco de assaltos aumenta bastante, segundo relatos. “E se você pedala na rua é ofendido por motoristas”, acrescentou o ciclista. Além disso, também há o risco de acidentes.

Perto dali, na Praça Irmãos Karmann, moradores também reclamaram da falta de segurança. Os postes de energia também não estão funcionado. Em nota, a Subprefeitura Lapa informa que irá vistoriar os locais mencionados nos próximos dias, e, constatadas irregularidades, os reparos serão realizados o quanto antes.

Já em relação à iluminação, o Departamento de Iluminação Pública (Ilume) informa que uma equipe de manutenção percorreu, na quarta-feira (16) toda a extensão da ciclovia, e identificou que a iluminação no local é própria da Avenida Sumaré. “Alguns trechos ficam mais escuros, devido às copas das árvores localizadas no local”, pontuou a nota. A manutenção e a troca de lâmpadas na Praça Irmãos Karman também foram providenciadas.

A Secretaria da Segurança Pública de SP esclarece que as polícias Civil e Militar realizam ações integradas para combater a criminalidade na região citada, em especial os crimes contra o patrimônio.

Em setembro de 2018, dois menores, de 15 e 16 anos, foram apreendidos por roubo a um ciclista ocorrido na Avenida Sumaré. A bicicleta roubada foi recuperada e os menores encaminhados à Fundação Casa.

A 3ª Cia do 4º BPM/M realiza policiamento diariamente na região por meio dos programas de Radiopatrulhamento, Força Tática, Rocam e Policiamento Comunitário.

Assaltos de bike

No ano passado, quem frequenta a Praça da República, na região central da cidade, reclamou dos assaltos provocados pelas “gangues de bike”. Comerciantes da região também estavam assustados com o número de assaltantes. “Algumas pessoas costumam andar pela praça com o celular na mão. Já vi casos de um ladrão de bike bater o guidão no braço de uma pessoa para tentar pegar o celular. Em uma das vezes, só não conseguiu levar o aparelho porque o celular caiu no chão. As pessoas ficam assustadas, mas já fica o alerta para não andar com celular na mão por aqui”, disse a vendedora Paula Ferreira.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s