Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Hopi Hari ficará fechado por mais cinco dias

Mesmo após fim da greve de funcionários, direção do parque de diversões decidiu reabrir apenas na próxima quinta-feira (6) por questões de segurança

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 1 jun 2019, 11h07 - Publicado em 1 jun 2019, 10h46

Fechado por causa de uma greve de funcionários, o parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo, no interior de São Paulo, voltará a abrir as portas e a funcionar normalmente a partir de quinta-feira (6).

Em nota, a diretoria informou que tomou essa decisão por questões de segurança. “Em razão de uma greve ilegal de parte dos funcionários, o parque se sentiu obrigado a suspender a visitação até em atenção aos protocolos de segurança”, diz o texto.

  • Ainda no comunicado, a diretoria do Hopi Hari afirma que fechou uma “cláusula de paz” com os trabalhadores grevistas, após uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas. Pela cláusula, a direção do Hopi Hari se comprometeu a garantir emprego aos funcionários por 90 dias, sem descontar os dias que ficaram em greve, desde que todos voltassem a trabalhar imediatamente. O motivo dessa paralisação era um impasse entre parte da equipe técnica do Hopi Hari e a diretoria.

    “A nova administração também efetuou o pagamento de salários, que estava previsto para o dia 5, nesta sexta-feira, inclusive para os faltosos, num gesto de conciliação”, afirma a nota.

    O Hopi Hari ainda pediu desculpas aos visitantes que já tinham comprado ingressos para os dias que o parque ficará fechado. A direção avisou que todos eles serão reembolsados ou poderão reagendar a o dia da visita.

    Continua após a publicidade
    Publicidade