Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Homem dando soco em vizinha antes de matá-la é registrado por câmeras

Vigilante colocou fogo no próprio apartamento e se jogou do prédio após a agressão no litoral de São Paulo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 11 abr 2021, 10h57 - Publicado em 11 abr 2021, 10h55

Um homem de 36 anos que trabalha como vigilante matou uma vizinha, colocou fogo no próprio apartamento e, em seguida, se jogou do 7º andar de um edifício em São Vicente, no litoral paulista, na manhã desta sexta-feira (9). Ambos morreram no morreram no local.

Neste domingo (11), foram divulgadas pelo G1 imagens gravadas pelas câmeras de segurança do prédio que mostram o momento em que o criminoso agride a vítima.

A mulher estava saindo para trabalhar por volta das 6h10, quando foi atacada. Ela deixa o marido e dois filhos: um bebê de sete meses e uma criança de 3 anos. A polícia ainda investiga se ela foi vítima de violência sexual.

Testemunhas informaram à polícia que ele não tinha relação prévia com a vítima e ambos moravam no mesmo andar.

A vítima e o vigilante pegaram o mesmo elevador até a garagem, sem trocar palavras. Após ela sair do local, ele a deixa passar na frente e passa a rondar o andar. Quando a mulher se distrai, ele para atrás dela, e assim que ela vira em sua direção ele a ataca com um soco no rosto. A mulher desmaia e o homem a arrasta desacordada para às escadas.

O marido da mulher recebeu mensagens da chefe da esposa dizendo que ela não tinha comparecido ao trabalho, de acordo com seu relato na delegacia. Preocupado, foi até a garagem e encontrou a moto da esposa com a chave no mesmo lugar. Com a ajuda do síndico, viram pelas câmeras o vizinho subindo às escadas. O marido então foi até as escadas e achou o corpo da vítima no andar térreo, perto da escadaria, já sem vida. Ele acionou a Polícia Militar.

Continua após a publicidade

Os policiais chegaram a conversar com homem, mas não compreendiam o que ele dizia. Pouco tempo depois, o homem incendiou o próprio apartamento e se jogou do 7º andar.

De acordo com relato da irmã e da namorado do rapaz, o homem era viciado em drogas. O caso foi registrado como homicídio qualificado no 2º Distrito Policial de São Vicente. 

 

 

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade