Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Homem que matou carroceiro com flechada é condenado pelo júri popular

Caso ocorreu em 2016, quando Aldemir Ribeiro Pontes foi assassinado no Bom Retiro

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 27 Maio 2021, 14h30 - Publicado em 27 Maio 2021, 14h29

A Justiça de São Paulo condenou Denis Young Kim pelo assassinato do carroceiro Aldemir Ribeiro Pontes, morto aos 63 anos de idade em 2016, na região central da capital paulista. Ele deverá cumprir 14 anos de prisão em regime fechado.

Na ocasião Denis disparou uma flecha de uma besta, que perfurou o pescoço de Aldemir, que trabalhava com coleta de materiais recicláveis. Segundo a investigação, o homem disparou a arma de dentro do seu carro, um Peugeot 206 de cor prata: o crime teria ocorrido porque o catador teria arranhado o carro do homem, que na época do crime, tinha 33 anos de idade.

Em depoimento à Justiça em maio de 2017, Kim afirmou que não tinha a intenção de cometer o crime e que a vítima havia lhe mostrado o dedo médio durante uma discussão. “Isso me deixou com raiva. Eu dei um soco nele e ele tirou um machado para me matar. Ele foi cercando meu carro, sabe? Meus amigos saíram do meu carro para me ajudar”. No dia do assassinato, ainda com raiva do carroceiro, que segundo o assassino tinha riscado seu carro pouco tempo antes, Kim usou a arma para assustá-lo. “Não tinha intenção de matar ele, só quis dar susto. Como ele me assustou com machado”, conta. Depois de atirar na vítima, o criminoso confesso fugiu, mas foi preso no dia seguinte.

O julgamento ocorreu no dia 21 de maio, sexta-feira passada: o homem foi condenado por homicídio duplamente qualificado, com motivo fútil e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima.

Continua após a publicidade
Publicidade