Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Grupo de tenistas idosos teme ‘despejo’ de centro esportivo da prefeitura

Prefeitura afirma que eles ocupam as quadras de forma irregular e cobram pelo uso do espaço

Por Clayton Freitas Atualizado em 7 dez 2021, 10h27 - Publicado em 7 dez 2021, 09h10

Um grupo de 530 tenistas amadores, composto em sua maioria por idosos, teme ser proibido de continuar a praticar o esporte em seis quadras do Complexo Mané Garrincha, na Vila Clementino, na Zona Sul de São Paulo.

O motivo é que a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer firmou, no dia 10 de novembro último, um convênio com o Instituto do Tênis para incentivar a prática do esporte. Segundo a prefeitura, o instituto investirá R$ 12 milhões no prazo de cinco anos e suas ações devem beneficiar perto de 15 mil crianças a partir de 5 anos de idade.

+ Hotel Maksoud Plaza interromperá o funcionamento

Atualmente quem ocupa o espaço é a Sati (Sociedade Amigos do Tênis do Ibirapuera). Eles alegam que foram os seus associados os responsáveis por construir as quadras e adaptar o espaço.

“Achamos louvável um projeto social e inclusive a Sati já fez isso com a Patrícia Medrado”, afirmou o aposentado Jerson Bufarat, que diz frequentar o local há mais de 30 anos.

Patrícia Medrado é uma ex-tenista profissional que conquistou a medalha de prata no Pan de 1975, no México.

Outro questionamento de Bufarat é o de ninguém ter sido informado previamente da decisão da prefeitura. Além disso, ninguém sabe até agora se os idosos poderão praticar no local, e em quais  horários e quadras.

+ Museu Judaico abre as portas com Torá do século XVI e vista para o centro

Continua após a publicidade

Os frequentadores dizem que a cobrança não é obrigatória, porém, é sugerida uma contribuição voluntária de R$ 150 e uma colaboração mensal de R$ 50 para poder praticar o esporte no local. Os custos são para manter os dois funcionários e a estrutura funcionando, já que a entidade não tem fins lucrativos.

A saída da Sati do Mané Garrincha será tema de uma audiência pública na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente da Câmara Municipal na próxima sexta-feira (10), pela manhã.

No requerimento que apresentou, o vereador Aurélio Nomura (PSDB) questiona justamente o cancelamento, sem aviso prévio, por parte da Secretaria Municipal de Esportes.

Irregular

Em nota, a pasta informou que o Instituto do Tênis foi selecionado após habilitação técnica e jurídica para celebrar o acordo de cooperação.

“O Instituto Tênis nasceu em 2002 com o objetivo de fomentar o tênis brasileiro, desenvolvendo atletas e treinados, com atuações que vão desde a apresentação da modalidade em escolas públicas até a formação de atletas de alto nível com destaque no cenário internacional”, diz trecho da nota.

A secretaria alegou ainda que a Sati ocupava o espaço de forma irregular e que inclusive recebeu, por intermédio de sua Ouvidoria, uma denúncia de cobrança pelo uso de espaço público.

A reportagem não conseguiu localizar os representantes do Instituto do Tênis para comentar o assunto.

Continua após a publicidade

Publicidade