Continua após publicidade

“Perder um filho é uma dor sem limite”, diz Alckmin

Governador de São Paulo destacou as qualidades de Thomaz Alckmin, vítima de acidente de helicóptero. Em rede social, agradeceu mensagens de apoio e solidariedade 

Por Nataly Costa
Atualizado em 5 dez 2016, 12h37 - Publicado em 8 abr 2015, 23h58

“Filho carinhoso, pai amoroso, jovem batalhador, trabalhador e amigo fiel”. Foram com essas palavras que o governador de São Paulo descreveu o filho Thomaz Alckmin, que morreu na noite da última quinta-feira (2), vítima de um acidente de helicóptero. Esta foi a primeira vez que Geraldo Alckmin falou sobre o caso. Ele fez um breve pronunciamento na noite desta quarta (8), após a missa de sétimo dia celebrada na Igreja Nossa Senhora do Brasil.

Alckmin disse que o apoio de todos ajuda a confortar o coração em dias difíceis. “Em nome da nossa família, gostaria de agradecer a solidariedade, apoio e orações nesse momento tão duro. Muito obrigado a todos.”

Após a cerimônia, o governador também usou o Facebook para descrever o momento de dor pelo qual a família vem passando. “Perder um filho é uma dor sem limite. Só a fé e a solidariedade dos amigos nos ajudam a suportá-la neste momento. Acabo de retornar da Missa de Sétimo Dia do nosso filho Thomaz. Na segunda-feira, ele teria feito 32 anos. A Lu Alckmin e eu agradecemos a todos pelas mensagens de apoio, solidariedade e carinho. Elas estão sendo muito importantes para nossa família neste momento”, escreveu.

O governador acompanhou a cerimônia ao lado da mulher, Lu Alckmin. Ele se emocionou com as palavras de dom Fernando Figueiredo. “Obrigado Thomaz por sua vida”, disse o bispo. Geraldo Alckmin e a filha Sophia demonstravam estar mais serenos do que a primeira-dama e o filho Geraldo Alckmin Neto, muito abalados.

Continua após a publicidade

Autoridades, amigos e familiares lotaram a igreja. Segundo a Polícia Militar e o cerimonial, de 800 a 1 000 pessoas estiveram no local. Por causa da grande quantidade de pessoas no local, as portas da igreja precisaram ficar abertas.

Entre os presentes estava João Campos, filho de Eduardo Campos, político que morreu em uma queda de avião em Santos, no litoral paulista, em 2014. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e o ator Juca de Oliveira também participaram da cerimônia, além dos políticos Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Marta Suplicy e Aloysio Nunes.

Após a missa, o governador cumprimentou por quase duas horas as pessoas que estiveram na cerimônia.

Continua após a publicidade

Redes sociais

Também nesta quarta-feira (8), a primeira-dama do estado de São Paulo, Lu Alckmin, falou pela primeira vez após a morte de seu filho. Em seu perfil no Facebook, ela publicou um texto atribuído a Santo Agostinho. Geraldo Alckmin Neto e Sophia Alckmin também comentaram nas redes sociais a dor de perder o irmão.

Além de Thomaz, que era piloto profissional, mas não estava conduzindo a aeronave, morreram no acidente o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, 53, e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, 42, Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34. Todos participavam de um voo-teste após manutenção do veículo.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.