Clique e assine por apenas 6,90/mês

GCM de 56 anos morre após agressão em parque na Grande São Paulo

Ele trabalhava há 33 anos na corporação e pediu a um grupo de jovens que parasse de fumar narguilé dentro da área infantil do parque Celso Daniel

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 14 fev 2020, 15h45 - Publicado em 16 jan 2020, 10h19

Um guarda civil municipal de Santo André, no ABC Paulista, morreu após ser agredido dentro do parque Celso Daniel, localizado no Centro da cidade. O profissional, que tinha 56 anos e trabalhava há 33 anos na GCM de Santo André, pediu a um grupo de jovens que parasse de fumar narguilé dentro da área infantil do parque.

Um dos jovens abordado pelo guarda não concordou com o pedido e passou a agredi-lo com socos no peito, informou a GCM. O homem perdeu a consciência e teve três paradas cardíacas, sendo socorrido ao Centro Hospitalar de Santo André. O GCM não resistiu aos ferimentos e morreu. O velório e o enterro serão realizados nesta quinta-feira (16) no Cemitério Curuçá, em Santo André. As informações são do G1.

O homem acusado de agredir o GCM foi preso e levado à 4ª Delegacia de Polícia Civil de Santo André, onde prestou depoimento e foi liberado. A GCM informou que o parque possui câmeras de vigilância que podem ter gravado a ação do agressor.

Publicidade