Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Funcionários públicos de São Paulo devem voltar ao trabalho presencial

Governador João Doria suspendeu o home-office para servidores; exceção são os que têm comorbidades e ainda não se vacinaram

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 14 jul 2021, 11h10 - Publicado em 14 jul 2021, 10h11

O governador João Doria (PSDB) determinou que todos os servidores públicos do estado de São Paulo devem voltar ao trabalho presencial. A exceção são os que tenham comorbidades e ainda não estiverem imunizados contra a Covid-19. Os funcionários públicos estão em esquema de teletrabalho desde 15 de março de 2020.

“De fato nós suspendemos o home office (…). Vamos voltar ao trabalho. Vamos ter uma redução acentuada do número de casos então o Governo do Estado de São Paulo está dando um exemplo para que aqui os seus servidores possam voltar ao trabalho presencial resguardadas os devidos cuidados, mas com a indicação clara da queda do número de casos, da queda de internações e de óbitos. Isso nos permite tomar essa decisão em absoluta segurança.”

+ Paulista Aberta volta a partir de domingo (18), diz Nunes; veja regra 

A decisão vale para todos que estejam em condições físicas adequadas, o que inclui os que ainda não tomaram a vacina contra a Covid-19.

“Os que não tomaram a vacina deverão apresentar a sua testagem e entrar dentro do programa de vacinação que está acelerado até o dia 20 de agosto a todos os brasileiros que residem em São Paulo em território paulista e até mesmo os estrangeiros. [Até 20 de agosto] já terão recebido pelo menos uma dose da vacina e completaram o seu processo vacinal gradualmente. A vida está retornando a normalidade e nós estamos confiantes”, afirmou.

Continua após a publicidade
Publicidade