Família passa por sufoco até descobrir paradeiro de vítima de tiroteio

Pai de Caio de Oliveira relatou que só foi avisado da morte do garoto por volta das 15h

Após o tiroteio que ocorreu na manhã desta quarta-feira (13) na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana da capital, uma família demorou para descobrir o paradeiro de um jovem que estudava na instituição e faleceu no ataque.

Edilson Gomes de Oliveira, pai do estudante Caio de Oliveira, relata que ficou circulando entre a escola, um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e hospitais da região, até ter notícias do paradeiro do menino de 15 anos. “As informações não estavam chegando”, contou ele. A família só recebeu notícia da situação do jovem por volta das 15h, quando foi avisada que ele estava entre as dez vítimas.

“Esse bairro é violento, aqui bandido faz o que quer, o que mais precisa acontecer para isso mudar?”, lamentou Oliveira. “Quando acontece um caso desses todos aparecem, vem até o governador, mas e na hora de proteger a população?”

Relembrando momentos com o filho, o pai recordou, emocionado, de um presente que o garoto havia pedido. “O Caio queria um skate, e eu não dei”, relembrou o motoqueiro.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s