Clique e assine por apenas 6,90/mês

Família afirma que morto em Botucatu não era bandido

Ivan Almeida foi baleado após bandidos assaltarem bancos na cidade do interior

Por Redação VEJA São Paulo - 1 ago 2020, 11h30

A família do homem morto durante uma ação criminosa em Botucatu, no interior, nesta semana, afirma que Ivan Almeida, 27, não era bandido, como teria dito a polícia.”Ele quis ir para a rua tem um mês. Fizemos tudo para trazê-lo para casa, porém ele dizia que lá iria a reportagem, e que ele seria famoso por escrever músicas”, disse a técnica de enfermagem Vânia Almeida, em uma postagem no Facebook.

Irmã do homem baleado, a mulher afirma que ele não estava armado e dizia para a família que na rua tinha liberdade, por isso não queria voltar para casa. Almeida era conhecido como MC Sapequinha, e morava embaixo de um viaduto na rodovia Marechal Rondon, próximo de onde a polícia diz ter havido um confronto.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirma que “todas as mortes decorrentes de intervenção policial, por determinação da própria pasta, são investigadas pelas delegacias especializadas, pelas Corregedorias e comunicadas ao Ministério Público”.

 

Publicidade