Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Entregadora de aplicativo relata agressão: “jogou em mim a maquininha”

Caso ocorreu em SP, após a mulher não conseguir subir até o apartamento do cliente para levar o pedido

Por Redação VEJA São Paulo 28 out 2021, 19h41

Uma entregadora registrou um boletim de ocorrência após relatar ser agredida por um cliente na cidade de Guarujá, no litoral paulista. O caso ocorreu na noite de terça-feira (26), com a motoqueira Josimary de França, 29.

A mulher relata que foi xingada e agredida após não conseguir subir até o apartamento do cliente para levar um pedido. Ela chegou a passar mal e ir para uma UPA e registrou o caso como lesão corporal em uma delegacia.

Rosimary relatou para o UOL que quando chegou no local, o cliente pediu que ela subisse até o apartamento, mas ela afirmou que não podia já que é proibido estacionar moto na calçada. Ao encontrar o homem, que aparentava ter cerca de 60 anos, na portaria, ela diz que ele a questionou se ela “manda ou obedece”.

“Eu até disse, ‘manda quem pode, obedece quem tem juízo’, em tom de brincadeira, mas ele começou a me xingar, falando que ali era ele quem mandava. Fiquei quieta e mantive o profissionalismo. Digitei o valor na maquininha, perguntei se era crédito ou débito, e quando ele devolveu o aparelho, jogou em cima de mim”, diz ela, sobre o caso registrado no bairro Barra Funda.

Ela afirma que ficou machucada na região dos seios após ser atingida pelo aparelho. “Eu falei que ia chamar a polícia, o porteiro viu tudo, mas ninguém fez nada”. Um transeunte ajudou Rosimary a telefonar para a polícia. “Depois disso passei mal e fui para UBS, minha pressão estava muito alta”, afirma.

A Secretaria de Segurança Pública informa que o caso foi registrado como lesão corporal e que a vítima foi orientada para prestar representação criminal no prazo de seis meses.

 

Continua após a publicidade

Publicidade