Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Entenda as novas regras para táxis e aplicativos no Aeroporto de Congonhas

Nos primeiros dias de implementação, as mudanças causaram confusão, atrasos e voos perdidos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 17 mar 2019, 19h21 - Publicado em 17 mar 2019, 16h35

Desde a última sexta (15), estão em vigor no Aeroporto de Congonhas novas regras de embarque e desembarque de táxis, carros de passeio e carros de aplicativos, para melhorar o fluxo de veículos.

Nos primeiros dias de implementação, porém, as mudanças causaram confusão, atrasos e até houve relatos de pessoas que perderam voos.

Quem chamava carros de aplicativos como o Uber tinha um tempo de espera muito maior que o normal e cancelamentos. Houve também congestionamento na Avenida Washington Luís e arredores.

Com as mudanças, motoristas de aplicativos e de carros particulares só podem deixar passageiros no piso superior do aeroporto. Para pega-los, é necessário se dirigir ao piso inferior.

Os táxis podem embarcar e desembarcar no piso superior e têm ainda cinco vagas no piso inferior.

Nesses primeiros dias, a Prefeitura de São Paulo anunciou que não vai multar, mas orientar os motoristas. Segundo a Prefeitura, a intenção do projeto é operar na fluidez dos carros no local, coibir estacionamentos irregulares e paradas em fila dupla.

Confira as mudanças:

Continua após a publicidade

NO PISO SUPERIOR

– É onde os táxis devem pegar passageiros e desembarcá-los

– Carros particulares e de aplicativos só podem fazer o desembarque de passageiros

– Passageiros devem descer em frente à área de check-in das companhias aérea

NO PISO INFERIOR

– É onde carros particulares e de aplicativos que chegam ao aeroporto sem passageiros devem pegá-los

– Espaço tem cinco vagas para táxis pegarem passageiros

Continua após a publicidade
Publicidade