Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ela foi estudar para o vestibular de medicina e achou 25 asteroides

A estudante de medicina Verena Paccola, de 22 anos, foi premiada por ter descoberto um asteroide classificado como importante pela Nasa

Por Clayton Freitas Atualizado em 12 jan 2022, 09h03 - Publicado em 11 jan 2022, 19h40

Enquanto estudava para o vestibular de medicina da USP, a estudante Verena Paccola, de Indaiatuba (interior de São Paulo), decidiu também caçar asteroides. Acabou localizando 25, um deles considerado como importante pela Nasa, a agência espacial americana.

“Eu estava entediada em ter que estudar as disciplinas do ensino médio e vi a oportunidade de fazer algo distante da minha realidade. Consegui o software da Nasa, e, com login e senha, passei a usar o sistema”, afirma.

Verena com Patrick Miller, criador do programa Caça Asteroides da Nasa
Verena com Patrick Miller, criador do programa Caça Asteroides da Nasa Arquivo Pessoal/Reprodução

+Antes do humor, Batoré tentou ser jogador de futebol e sofreu grave lesão

Após passar pelo treinamento on-line, ela analisou imagens disponibilizadas pela própria Nasa. A “caçada” consiste em observar essas imagens, verificar os pontos em movimento e gerar relatórios que são conferidos pela Universidade de Harvard. São os técnicos de lá que fazem a classificação do que é o achado.

O tédio de Verena se explica porque ela já era formada no ensino médio. Desde criança ela tinha o desejo de ser médica. Tanto o é que, ainda pequena, levava o microscópio na escola no dia em que era permitido levar os brinquedos. Vez ou outra também vestia um jaleco e brincava com tubos vazios. Logo depois se formou em técnica de enfermagem.

+Medo de trote atrapalha pesquisa da CoronaVac em Campinas

Ela ficou um ano desenvolvendo uma pesquisa na área de neurociência computacional para pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista), no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

A estudante Verena Paccola com máscara e avental de técnica de enfermagem
A jovem Verena Paccola, que descobriu 25 asteroides, quando atuava como técnica de enfermagem Arquivo Pessoal/Reprodução

O desejo de ser médica a levou, em 2019, ao Canadá, quando ela foi aceita na University of British Columbia. Ficou apenas um semestre por lá, e, por questões financeiras e também por diferenças nos currículos, voltou para o Brasil.

De volta ao Brasil voltou a estudar. A escolha por caçar asteroides foi para espantar o tédio de ter que rever o aprendizado do ensino médio.

Continua após a publicidade

+Renata Vasconcellos testa positivo para a Covid-19

“Apesar de já ter sido admitida no Canadá, minha formação era como técnica de enfermagem. Precisei rever o conteúdo do ensino médio. Estudava quatro horas para o vestibular e também caçava asteroides e ainda mantinha minhas redes sociais ativa”, diz.

A tão sonhada vaga para ser médica veio. Ela passou no curso de medicina da USP de Ribeirão Preto, no interior. E, ao final do primeiro ano do curso de medicina, em 2021, foi a Brasília (DF) para receber o prêmio pelas suas descobertas.

Verena e o ministro Marcos Pontes, da pasta da Ciência, Tecnologia e Inovações do governo federal
Verena e o ministro Marcos Pontes, da pasta da Ciência, Tecnologia e Inovações do governo federal Arquivo Pessoal/Reprodução

No Brasil o programa Caça Asteroides, da Nasa, tem parceria com MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações).

A cerimônia em Brasília ocorreu em 9 de dezembro último. Entre outros, estavam presentes Patrick Miller, criador do programa Caça Asteroides da Nasa, e Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações. Entre as condecorações que recebeu, estão medalhas, troféu e honra ao mérito por ter ficado em primeiro lugar no programa de 2021.

+Modelo Valentina Boscardin morre aos 18 anos por complicações da Covid-19

De volta a Indaituba, onde mora com a família, ela se prepara para cursar o segundo ano de medicina em Ribeirão Preto.

A experiência como caçadora de asteroides e o modo como foi bem recepcionada pela Agência Espacial Brasileira gerou uma nova curiosidade, a de descobrir mais sobre medicina espacial. “Eu tenho a mente aberta para outras áreas. A medicina espacial é uma área não muito discutida dentro da medicina. Por enquanto sigo com meu plano de fazer neurocirurgia, que é o que mais gosto”, afirma.

verena paccola, estudante que descobriu 25 asteroides
Verena passou a caçar asteroides para se livrar do tédio de ter que estudar novamente disciplinas do ensino médio para prestar o vestibular de medicina Arquivo Pessoal/Reprodução

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês