Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Eduardo Bolsonaro é condenado a pagar indenização a jornalista

Filho de presidente fez ofensas de cunho sexual contra a repórter Patricia Campos Mello; cabe recurso

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 21 jan 2021, 18h32 - Publicado em 21 jan 2021, 18h30

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi condenado nesta quinta-feira (21) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar uma indenização no valor de 30 mil reais a repórter Patricia Campos Mello, do jornal Folha de S.Paulo. Cabe recurso.

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi acusado de fazer ofensas de cunho sexual contra a jornalista. Patricia entrou na Justiça depois do deputado afirmar que ela “tentava seduzir” fontes para obter informações que fossem prejudiciais sobre o governo do pai e que propagava fake news contra o presidente para ganhar promoção no jornal.

As ofensas aconteceram em uma live publicada no canal do YouTube ‘Terça Livre TV’, no dia 27 de maio do ano passado.

A decisão é do juiz Luiz Gustavo Esteves, da 11ª Vara Cível de São Paulo. “Ocupando cargo tal importante no cenário nacional –sendo o deputado mais votado na história do país, conforme declarado na contestação– e sendo filho do atual presidente da República, por óbvio, deve ter maior cautela nas suas manifestações, o que se espera de todos aqueles com algum senso de responsabilidade para com a nação”, disse.

Esteves também determinou o pagamento de custas processuais e honorários advocatícios no valor de 15% da condenação. Eduardo Bolsonaro ainda não se pronunciou. 

Continua após a publicidade
Publicidade