Clique e assine por apenas 6,90/mês

Doria dá resposta para Lula e mostra carteira de trabalho

Em discurso, Lula havia chamado o prefeito de "almofadinha", e dito que ele nunca teve sua carteira de trabalho assinada

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 6 May 2017, 19h27 - Publicado em 6 May 2017, 18h37

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) usou suas redes sociais neste sábado (6) para responder a uma acusação do ex-presidente Lula (PT), feita na noite de sexta (5), na abertura da etapa paulista do 6º Congresso do PT. 

Durante o evento, Lula insinuou que Doria nunca teve sua carteira de trabalho assinada. Um almofadinha, um coxinha ganha as eleições em São Paulo se fazendo passar junto ao povo mais humilde por João Trabalhador. Se encontrarem com ele por aí, perguntem se ele já teve uma carteira profissional assinada”, disse.

Em resposta, Doria fez um vídeo de menos de um minuto acusando Lula de ser mentiroso, covarde e também desinformado.

“Tá aqui minha carteira de trabalho, eu com 13 anos de idade já trabalhava. Fazia o que poucas vezes você já fez na sua vida”, acusou Doria no vídeo postado em sua página no Facebook. “Meu filhos têm orgulho de mim porque o pai trabalha, o pai não rouba, o pai é decente, o pai é brasileiro”.

Na manhã deste sábado (6), o prefeito lançou o programa Cidade Verde no Parque do Carmo, Zona Leste. Acompanhado por secretários municipais e representantes da região, ele destacou que a cidade contará com 600 000 mudas de árvores que serão plantadas pela Prefeitura durante os quatro anos de mandato. Doria agradeceu a mais uma parceria com a iniciativa privada.

Segundo ele, houve um estudo para que cada muda seja plantada de acordo com as particularidades de cada região da cidade. O prefeito disse que 150 000 mudas serão plantadas em São Paulo por ano. 

Continua após a publicidade

Antes de anunciar o programa, Doria plantou uma muda no Parque do Carmo e batizou de Árvore do Bem. “É a árvore dos brasileiros que querem o bem, que querem o Brasil correto, o Brasil honesto, crescendo e em desenvolvimento.”

Com informações do Estadão Conteúdo

Publicidade