Doria encara protestos a caminho de missa na Catedral da Sé

Grupo carregava cartazes com frases como "Cidade Cinza", em referência ao programa que apagou os grafites da Avenida 23 de Maio

O prefeito João Doria enfrentou protestos na manhã desta quarta-feira (25), quando chegava à Catedral da Sé, na região central, para uma missa pelo aniversário da cidade de São Paulo.

Manifestantes ligados à entidade Rede Minha Sampa levaram cartazes com os dizeres “Cidade Cinza” em alusão aos grafites da Avenida 23 de Maio, apagados no último final de semana pela prefeitura.

O grupo entregou a Doria um mapa com o levantamento de mais de 100 grafites na capital. “O que vocês defendem é a arte, não é a pichação. A pichação não é arte, é destruição”, declarou o tucano. “Eu peço que os pichadores preservem, não mutilem as obras daqueles que, como grafiteiros, como muralistas, fazem arte urbana, que é um valor importante da cidade”, afirmou.

Apóstolo Paulo

Na mesma região, uma estátua em homenagem ao apóstolo Paulo, que dá nome à cidade de São Paulo, amanheceu pintada com tinta vermelha. Para o prefeito João Doria (PSDB), o autor do ato não “tem amor próprio” e “fé”.

Acompanhado do arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, Doria depositou flores no pé da estátua e falou sobre a pintura. “Depositamos as flores aqui não só em homenagem, mas em solidariedade à tristeza que é. Isso é o vermelho do sangue”, afirmou o prefeito.

“As pessoas que fazem isso não gostam da cidade de São Paulo. São pessoas que agridem a nossa cidade. São pessoas que não amam São Paulo. E por não amar São Paulo também não têm amor próprio. Quem não tem amor próprio não tem fé.”

O prefeito afirmou que pediu ao prefeito regional da Sé, Eduardo Odloak, que mantivesse a pintura exatamente como foi feita na madrugada. Na sequência, funcionários da prefeitura iniciaram a limpeza do monumento.

Antes, Doria havia participado de um ato cívico em homenagem ao aniversário da cidade no Pátio do Colégio, local de fundação de São Paulo, em 1554, bem próximo da Praça da Sé.

Veja também

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. ROBERTO TADEU GORIOS

    ESSA CORJA QUEREM FAZER DE SÃO PAULO SEU QUINTAL, NOS PAULISTANOS JAMAIS VAMOS PERMITIR

  2. Beth Slapelis

    Esses vagabundos sujam a cidade em nome da arte grafite é arte pichação e caso de polícia é isso aí prefeito .cadeia neles

  3. Wanderley Revert

    Se. Diria
    Votei para o senhor, porém destruiur os grafites dá 23 de Maio, não concordo, poderia ter restaurado, agora vamos olhar para uma parede cinza, é muito deprimente. Poderia ter restaurado.

  4. Adyneusa Moura

    Acho que o prefeito invasor de terras públicas, quer que todos prestigie a arte de sua mulher, mas não adianta, porque deve ser péssima, nunca saiu de seu atelie.