Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Desmascaramos o rapaz que foi trabalhar vestido de Homem Aranha

Imagens do matemático Afonso Hiroshi Mori, de 26 anos, com a fantasia do herói em seu último dia de trabalho viralizaram nas redes sociais

Por Guilherme Queiroz Atualizado em 1 fev 2019, 16h37 - Publicado em 1 fev 2019, 16h32

As fotos de um rapaz trabalhando vestido de Homem Aranha em seu último dia no emprego em um empresa da capital viralizaram nessa semana nas redes sociais. O vídeo que mostra o episódio já atingiu 500 000 visualizações no YouTube.

Pois descobrimos a identidade secreta do super-herói paulistano: trata-se do matemático Afonso Hiroshi Mori, de 26 anos. Natural de Tatuí, no interior do estado, ele trabalhou durante um ano e meio como analista de dados no escritório de um banco. Há seis meses, entretanto, começou a sofrer com síndrome do pânico. “Foi um momento difícil, a instituição me ajudou bastante, mas decidi que precisava de um recomeço” conta.

O matemático Afonso Hiroshi Mori Reprodução Facebook/Veja SP

Mori decidiu então sair do emprego e marcou seu último dia para 18 de janeiro. Com espírito brincalhão, decidiu não deixar a ocasião passar em branco. “Fiz muitos amigos importantes ali” explica. Surgiu então a ideia de ir fantasiado. Na hora de comprar a roupa, ficou na dúvida entre os trajes de dois heróis da Marvel: Deadpool e Homem Aranha. Acabou decidindo pelo aracnídeo. 

Então, ao final do expediente daquela sexta-feira, foi ao banheiro e voltou com a fantasia. “Logo que apareci no escritório, um rapaz gritou: olha ali o Homem-Aranha!”, conta. O herói logo chamou a atenção de todos e celulares surgiram para filmar a situação. Enquanto ele se despedia dos colegas, vieram as brincadeiras. “Pediram para eu fingir que estava trabalhando e fizemos as fotos”. 

Divulgação/Veja SP

A história não acabou por ali. Depois do expediente, Mori foi junto com os ex-colegas para um bar, e em seguida para uma conhecida balada da cidade, a The History, na Vila Olímpia. O Homem Aranha fez sucesso na noitada. “O pessoal fazia corredor na pista de dança”, relembra.

Por ora de férias, nosso super-herói paulistano descansa, mas logo irá recomeçar em um novo emprego. Quando questionado se a chegada também será triunfal, assim como a saída do emprego no banco, ele é brincalhão. “Acho melhor dar um tempo da história de Homem Aranha”.

Continua após a publicidade

Publicidade