Clique e assine por apenas 5,90/mês

Damares fala sobre acusações contra Flordelis, que conheceu em 2013

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disse que tinha ligação com a pastora e deputada por causa da pauta da adoção

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 28 ago 2020, 18h27 - Publicado em 28 ago 2020, 18h25

Em transmissão de vídeo realizada nas redes sociais na quinta-feira (27), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, mostrou-se indignada com Flordelis, acusada de mandar matar o marido Anderson do Carmo. Por ambas serem religiosas, a ministra afirmou que Flordelis enganou “a nação inteira, não só os evangélicos”.

“Eu conheci a Flordelis pessoalmente em 2013. Eu, assim como milhões de brasileiros, fomos ao cinema ver o filme dela […] A história que ela contava para o Brasil era linda, de adoção. Me apaixonei por aquela história. A minha ligação com ela era a pauta da adoção”, afirmou a ministra. “Estou triste. Temos que aguardar o resultado final, mas o relatório da polícia é robusto”, complementa sobre as investigações em andamento sobre o crime.

Flordelis foi indiciada pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. Anderson foi assassinado no dia 16 de junho do ano passado, dentro da própria casa, em Niterói.

Por Flordelis ter 55 filhos, Damares pediu para “essa história absurda” não atrapalhar a pauta da adoção do Brasil. Em depoimento, um filho da deputada disse que ele e a mãe adotiva mantinham relações sexuais e que ela oferecia as irmãs a pastores estrangeiros que visitavam o Brasil.

Continua após a publicidade
Publicidade