Clique e assine por apenas 6,90/mês

Distritos com mais mortes por Covid ficam fora do centro expandido

Desigualdade em outros parâmetros de saúde, como demora para conseguir consulta, se reflete na pandemia; Brasilândia é a campeã em óbitos

Por Sérgio Quintella - Atualizado em 12 jun 2020, 19h13 - Publicado em 5 jun 2020, 06h00

Epicentro da contaminação de Covid-19 no Brasil, São Paulo torna ainda mais evidente o efeito da desigualdade social em tempos de quarentena. Enquanto no Hospital Israelita Albert Einstein, no Morumbi, o primeiro a registrar paciente com coronavírus na cidade, o número de contaminados cai há dois meses seguidos, a periferia assumiu a ponta dos casos graves e dos óbitos. Dados da prefeitura mostram que, dos catorze distritos com mais mortes por coronavírus, TODOS ficam fora do centro expandido. Atualmente é mais fácil morrer de Covid na Brasilândia, Sapopemba, Grajaú, Capão Redondo, Jardim São Luís, Cidade Ademar, Jardim Ângela, Tremembé, Cachoeirinha, Itaquera, Sacomã, Cidade Tiradentes, Jabaquara ou São Mateus do que nos bairros mais ricos. A seguir, mais números da desigualdade paulistana.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Dados: Prefeitura de São Paulo/Veja SP

Dados: Prefeitura de São Paulo/Veja SP
Dados: Prefeitura de São Paulo/Veja SP
Dados: Prefeitura de São Paulo/Veja SP
Dados: Prefeitura de São Paulo/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Ilustração: CSA Images/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Foto: PeopleImages/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Ilustração: Westand61/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Ilustração: Malte Mueller/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Ilustração: Malte Mueller/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo / Ilustração: Malte Mueller/Getty Images/Veja SP
Dados: Rede Nossa São Paulo/Veja SP

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 10 de junho de 2020, edição nº 2690.

Publicidade