Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Cristian Cravinhos, condenado pelo caso Richthofen, deixa prisão

Pedido da defesa pelo regime aberto foi atendido nesta quarta (23)

Por Thaís Oliveira Atualizado em 23 ago 2017, 18h54 - Publicado em 23 ago 2017, 18h49

Condenado a 39 anos de prisão por participação no assassinato do casal Richthofen, Cristian Cravinhos passará para o regime aberto. Ele deixou a Penitenciária Masculina de Tremembé II na tarde desta quarta (23), após decisão da 2ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté.

Cravinhos já cumpria regime semiaberto e havia sido beneficiado com 21 saídas temporárias. A decisão da juíza Wania Regina Gonçalves da Cunha ressalta ainda que ele “não cometeu falta disciplinar recentemente e vem demonstrando bom comportamento carcerário”, citando participação em aulas de músicas e atividades religiosas.

O rapaz passou por exames criminológicos e psiquiátricos com parecer favorável. Foi constatado que ele assume o duplo homicídio pelo qual foi condenado e tem mantido a “agressividade e impulsividade controladas”.

Para não voltar ao presídio, Cravinhos deve conseguir um trabalho no prazo de sessenta dias e prestar contas das atividades para a Justiça a cada três meses. Também fica proibido de sair de casa entre as 20 horas e as 6 horas da manhã e de frequentar bares e casas de jogos.

Relembre

Ele e o irmão Daniel, namorado de Suzane à época, confessaram a participação assassinato de Manfred e Marísia von Richthofen. Presos desde 2002, os três foram condenados a 39 anos de prisão por um júri popular em 2006.

Suzane e Daniel cumprem pena no regime semiaberto e tentam o mesmo benefício concedido a Christian. Ela já foi beneficiada com cinco saídas temporárias e, recentemente, passou a se dedicar à preparação para virar pastora evangélica e se casar com o noivo, Rogério Olberg.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa.

Continua após a publicidade

Publicidade