Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Cremesp cassa registro de nutrólogo acusado de abusos sexuais

Mulheres relataram condutas indevidas do médico, que está preso desde dezembro do ano passado

Por Redação VEJA São Paulo 11 abr 2021, 12h12

O registro do médico nutrólogo Abib Maldaun Neto foi cassado pelo Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) de forma definitiva no último sábado (10). Ele foi acusado por ex-pacientes de abusos sexuais e está preso desde dezembro passado em São Paulo.

O registro profissional do médico já estava suspenso, no prazo de até seis meses, desde setembro para as apurações das denúncias. O caso deve seguir para o Conselho Federal do Medicina (CFM), para que a decisão seja referendada.

O caso

O médico nutrólogo Abib Maldaun Neto foi acusado de cometer abuso sexual dentro do próprio consultório, no bairro dos Jardins, na capital paulista.

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) abriu investigação para apurar denúncias de abuso sexual por pacientes do nutrólogo Abib Maldaun Neto. A promotoria informou que foi procurada por 21 mulheres.

Em julho de 2020, foi condenado a dois anos e oito meses de prisão em regime semiaberto por violação sexual de uma paciente mediante fraude, crime caracterizado por confundir ou enganar a vítima para abusar dela. No entanto, ele continuava atendendo pacientes em seu consultório nos Jardins e recorreu da decisão em segunda instância pelo Tribunal de Justiça São Paulo. Em dezembro do mesmo ano, teve sua prisão preventiva decretada e o Cremesp suspendeu cautelarmente seu registro para apurar as investigações.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade