Clique e assine por apenas 6,90/mês

Corpo carbonizado encontrado na Zona Sul é de líder comunitária

Vera Lúcia Santos estava desaparecida desde julho e seu carro foi encontrado queimado com ossada. Laudo confirmou que corpo era dela

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 20 ago 2020, 19h37 - Publicado em 20 ago 2020, 19h25

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que o corpo carbonizado encontrado no porta mala de um carro na Zona Sul em julho é de Vera Lúcia da Silva Santos. Ela tinha 65 anos de idade e presidia a Associação Comunitária Auri Verde, o veículo achado queimado com o cadáver era dela. Ainda não havia confirmação de que o corpo era de Vera até esta quinta-feira (20).

Ela estava desaparecida desde o dia 16 de julho quando o carro foi localizado em uma estrada de terra na região do Grajaú, no dia 18 do mês passado.

A Auri Verde, que administra seis creches municipais na Zona Sul, lamentou a morte de Vera pelas redes sociais. “Agradecendo todos aqueles que manifestaram sua sensibilidade para com a família, amigos e colaboradores, nosso muito obrigado. A Auri Verde entrará em luto de 3 dias, retomando suas atividades a partir da próxima segunda-feira”.

O enterro ocorrerá nesta sexta-feira (21), no cemitério Parque dos Girassóis, às 13h. Por meio de nota, a SSP afirmou que o caso segue em investigação pela Divisão de Homicídios do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Vera Lucia nasceu em Taperoá, na Bahia, onde foi adotada aos 7 anos e levada a São Paulo. Empregada doméstica, fundou em 1992 a Associação Comunitária Auri Verde, que atua na promoção de direitos como saneamento básico, pavimentação e energia elétrica. A organização fez um documentário sobre a vida de Vera.

Posted by OSC Auri Verde on Tuesday, August 18, 2020

Continua após a publicidade
Publicidade