Quinze tendências da Casa Cor 2017 para se inspirar

Evento que reúne o melhor do mercado de arquitetura e design até 23 de julho, no Jockey Club, traz ideias para seu lar

Não importa onde você more: quitinete, mansão, praia, campo… É sempre possível aproveitar alguma ideia ao dar um passeio pela Casa Cor, o maior evento de decoração e design das Américas. Os 71 ambientes que compõem a 31ª edição da mostra, que começou em 23 de maio, no Jockey Club, e traz o tema “foco no essencial”, exibem o que há de melhor no mercado e apresentam referências para diversos gostos (e bolsos).

Os 10 000 metros quadrados de área ocupada em 2016 cresceram para 15 000 neste ano. Eram esperados 110 000 visitantes durante os dois meses de atividades. Entre as novidades, aparecem uma programação de cursos e palestras sobre gastronomia e design, além de uma loja própria em parceria com o artista plástico José Marton.

Para recarregar as energias, visite os restaurantes Badebec e Tartuferia San Paolo, a padaria Dona Deôla ou o bar Barê. Organizado pelo Grupo Abril, que publica VEJA SÃO PAULO, o evento está presente em dezesseis estados. Com franquias na Bolívia, Chile, Equador e Peru, vai expandir seu território internacional para Miami e Paraguai no segundo semestre. “A Casa Cor é o momento de ousar”, afirma o arquiteto Léo Shehtman. “Não tenho cliente para dizer que não gosta ou não paga”, brinca.

O profissional virou o recordista de participações: perdeu apenas uma edição das 31. Em 2017, disputa espaço com alguns novatos, entre eles um estudante de design de interiores, Lucas Coelho, de 18 anos, selecionado por um dos patrocinadores, a Deca, durante um concurso nacional para revelar jovens talentos que contou com 5 000 inscritos.

Confira nas próximas páginas quinze tendências bastante presentes no Jockey para você se inspirar e copiar.

Casa Cor. Jockey Club de São Paulo. Avenida Lineu de Paula Machado, 1075, Cidade Jardim. Terça a domingo, 12h às 21h. R$ 56,00 (ter. a qui.); R$ 70,00 (sex. a dom. e feriados); R$ 165,00 (entrada em todos os dias do evento). Grátis para crianças de até 12 anos. Estac. c/manobr. (R$ 35,00). Até 23 de julho. www.casacor.com.

Paisagista Alex Hanazaki: conceitos de sustentáveis em alta (Leo Martins/Veja SP)

1 – SUSTENTABILIDADE
O conceito nunca sai de moda e deve ganhar mais força nos próximos anos. “É uma preocupação inevitável atualmente”, afirma Alex Hanazaki, arquiteto e paisagista responsável por um belo jardim de 1 000 metros quadrados. Ali, há sistema de reúso de água, iluminação em LED, madeira de reflorestamento e louças de banheiro que seriam descartadas. A mostra conta ainda com uma casa sustentável, focada em economizar recursos naturais e evitar a poluição.

Cozinha com horta criada por Érica Salguero: “Dá uma alegrada no lugar” (Mano Oristanio/Veja SP)

2 – HORTA
Mudas de temperos, como pimenta, hortelã e manjericão, aparecem integradas à cozinha criada por Érica Salguero. Em posição de destaque, a hortinha da parte de baixo foi instalada em vasos removíveis. “Dá uma alegrada no lugar”, diz. “Para fazer em casa, escolha um espaço iluminado e ventilado.”

Caiu no gosto dos moderninhos: lâmpadas estilo retrô com filamentos (Manu Oristanio/Veja SP)

3 – LÂMPADA COM FILAMENTO DE CARBONO
Com o filamento à mostra e uma luz fraquinha alaranjada, o item caiu no gosto dos moderninhos. No mercado, as charmosas lâmpadas de estilo retrô são encontradas em diversos formatos, por preços que dificilmente ficam abaixo dos 30 reais. As redondinhas da foto iluminam o café montado pela arquiteta Marilia Pellegrini. Costumam deixar o cômodo mais aconchegante.

Ambiente de Denise Barreto: madeira ganha destaque (Leo Martins/Veja SP)

4 – MADEIRA
A matéria-prima é quase onipresente na Casa Cor. Faz parte da onda de evidenciar elementos naturais na decoração. No espaço para receber amigos de Denise Barreto, os pranchões rústicos de pequiá bruto e até 4 metros de altura revestem um pedaço da parede da sala e aparecem na mesa da cozinha. “É preciso reconhecer o requinte de um material desses”, diz. “Nesta situação, ele também proporciona conforto acústico.”

Casa de Michel Safatle: “Com lares cada vez menores, é preciso usar o espaço racionalmente” (Manu Oristanio/Veja SP)

5 – AMBIENTES INTEGRADOS
Michel Safatle montou uma casa completa em 47 metros quadrados. “Com lares cada vez menores, é preciso usar o espaço racionalmente, sem deixar o estilo de lado”, diz. Sala, quarto e cozinha ficam concentrados próximo ao janelão com vista para o Jockey. Limitado por uma espécie de “caixa”, o banheiro se integra ao ambiente por um vidro transparente (dá para garantir a privacidade baixando a cortina).

Tons claros de azul no ambiente de Toninho Noronha: tendência em Milão (Manu Oristanio/Veja SP)

6 – AZUL
A tendência do azul, principalmente em tons mais claros, foi vista no Salão Internacional do Móvel de Milão, em abril. Na sala de jantar de Toninho Noronha, ele aparece em diversas nuances nas paredes, no teto, nas cortinas e nas cadeiras da mesa. “Se quiser fazer um ambiente todo da mesma cor, pinte apenas uma parede antes, para ter uma ideia de como vai ficar”, aconselha.

Quarto infantil da SP Studio: ilustrações podem ter tamanhos diversos (Manu Oristanio/Veja SP)

7 – DESENHOS NA PAREDE
Substitua os tradicionais quadros por um desenho feito a mão diretamente na parede. Este da foto, de cerca de 2 metros de altura, foi feito com caneta permanente pela artista Adriana Marto no quarto infantil do SP Estudio. Levou cerca de seis horas. Uma ilustração desse tamanho custa entre 2 500 e 4 500 reais.

Influência Pantone: tons de verde no Loft Romanov (Manu Oristanio/Veja SP)

8 – VERDE
Todo ano, a empresa americana Pantone elege uma cor. Nesta temporada, ganhou destaque o verde-claro greenery. A escolha desencadeou o uso desse e de outros tons da cor na mostra. No Loft Romanov, por exemplo, pensado pelo time da Suite Arquitetos e baseado em uma paleta suave, destacam- se duas poltronas verdes da marca Walter Knoll.

Decoração afetiva: objetos guardados ao longo da vida ganham destaque pela Yamagata Arquitetura (Manu Oristanio/Veja SP)

9 – DECORAÇÃO AFETIVA
O lar costuma refletir o estilo de seu dono. Mais do que nunca, entretanto, a tendência é usar objetos reunidos ao longo da vida para ocupar posições de destaque na decoração. No armário repleto de portinhas elaborado pelo escritório Yamagata Arquitetura, cada nicho guarda recordações de uma viagem diferente, junto de guias turísticos do destino.

Gil Cioni e Olegário de Sá: Casa da Mata com decoração em arenito (Leo Martins/Veja SP)

10 – PEDRAS NATURAIS
Uma peça nunca é igual a outra. Por isso, granito, mármore e outras pedras dão toque único a pisos, bancadas e móveis. Na Casa da Mata, de Gil Cioni e Olegário de Sá, o arenito decora paredes e a bancada do banheiro. Chama atenção ainda uma banheira de pedra-sabão de 2 toneladas. “A ideia é trazer a natureza para dentro de casa, com ares mais rústicos”, diz Sá.

Aposta minimalista: elementos geométricos dão harmonia e ares modernos na decoração (Manu Oristanio/Veja SP)

11 – LUMINÁRIA GEOMÉTRICA
Elementos geométricos levam harmonia e ares modernos às residências. Os lustres que seguem essa linha podem fazer o papel de obras de arte e funcionam bem em ambientes de estilo mais contemporâneo. O item da foto acima, da empresa Fas, aparece no espaço em preto e branco de Léo Shehtman. “Apostei no minimalismo.”

Do cafona ao chique: rosa claro retorna com destaque (Manu Oristanio/Veja SP)

12 – ROSA
Considerada cafona por algum tempo, a cor volta com força, principalmente em tons envelhecidos ou clarinhos, do tipo candy colors. Aparece em vários ambientes da Casa Cor, em um detalhe ou no espaço inteiro, caso do closet do baiano David Bastos. “Viemos de uma época com muito cinza e bege”, diz. “Esse rosa traz emoção de forma mais neutra.”

Industrial: referência de lofts em Nova York (Manu Oristanio/Veja SP)

13 – PEGADA INDUSTRIAL
O estilo faz referência aos amplos lofts de Nova York, que ocupam antigas fábricas e galpões. Para elaborar a Suíte Black, o arquiteto Gustavo Neves manteve o pé-direito original e derrubou as divisões que podia. Descascou as paredes tombadas, somente as lixou e aplicou nelas uma camada de resina, criando uma textura bruta. “Quis valorizar a história do prédio”, conta.

Verde na parede: “Sensação de área externa dentro de casa” (Manu Oristanio/Veja SP)

14 – JARDIM VERTICAL
Tome um banho com vista para uma parede de 2,20 metros de altura repleta de folhagens. “Ela traz a sensação de área externa dentro de casa”, afirma Paola Ribeiro, responsável pelo espaço. O paisagista Rulian Nociti elaborou o jardim vertical, que é hidropônico com irrigação programada. O preço médio do metro quadrado com essa tecnologia é de 1 700 reais.

Neon: luzes banham o espaço (Leo Martins/Veja SP)

15 – NEON
Com um jovem viajante em mente, Maicon Antoniolli montou um loft. Na parede do quarto, brilha um neon com uma frase de Machado de Assis: “Viajar é multiplicar-se”. Foi feito sob medida pela Arte Neon Luminosos. Ali, qualquer peça não custa menos de 900 reais. “Ao instalar um desses, leve em conta as proporções e a cor da luz, que banhará todo o espaço”, diz.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s