Carga de remédios para câncer é roubada em São Paulo

Carregamento é avaliado em 5 milhões de reais

Uma carga de medicamentos contra o câncer, avaliada em 5 milhões de reais, foi roubada na Mooca, Zona Leste, quando era transportada para a Fundação para o Remédio Popular, em Guarulhos. 

O Instituto Vital Brazil (IVB), laboratório produtor do remédio, ligado à Secretaria de Estado de Saúde do Rio, informou que o crime ocorreu em 16 de novembro, mas somente dez dias depois foi notificado pela transportadora.

O IVB vai processar a empresa Airway Transporte.

“Dez dias depois do ocorrido fomos informados de que houve um extravio. Somente cinco dias mais tarde a transportadora disse que havia ocorrido roubo. Nossa abordagem teria sido completamente diferente, teríamos mobilizado a imprensa, porque essa carga não tem valor comercial”, afirmou o presidente do IVB, Edmilson Migowski.

O medicamento Imatinibe é usado para leucemia mieloide crônica e tumor de intestino. “Nossa preocupação maior foi em relação ao risco de desabastecimento. Mas o Ministério da Saúde tinha estoque estratégico e tínhamos parte do produto já pronto. Não faltou medicamento para os pacientes de São Paulo”, afirmou Migowski.

De acordo com a Airway, a carga de 86 mil comprimidos saiu do depósito em um Fiat Fiorino descaracterizado, e o motorista foi rendido por homens armados, na tarde de 16 de novembro, na Mooca. O veículo era operado por uma empresa representante da Airway em São Paulo.

“A Polícia Civil acredita que os assaltantes sabiam o que era transportado”, afirmou o advogado da Airway Transporte, Cristiano de Freitas Fernandes. “A empresa representante da Airway nos informou que a carga havia sido roubada às 13h30, mas o Boletim de Ocorrência registra que o assalto foi às 15h30. Essa contradição precisa ser esclarecida”.

Segundo Fernandes, houve “ruído de comunicação” com o Vital Brazil. “Não foi comunicado extravio. O roubo foi informado por telefone ao Vital Brazil no dia em que ocorreu. Como essa informação chegou ao presidente internamente não podemos dizer”, afirmou.

Com Estadão Conteúdo

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s