Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Campanha incentiva crianças a desenhar como se sentem na quarentena

Ação da Unicef estimula famílias a postarem os desenhos e mensagens dos filhos nas redes sociais

Por Humberto Abdo 23 abr 2020, 16h45

Uma ação organizada pelo Unicef incentiva que crianças de todo o p

aís desenhem e escrevam mensagens sobre como se sentem durante a quarentena. Com as mudanças na rotina, o órgão das Nações Unidas estimula a atividade na campanha Sentimentos no Papel e recebe nas redes sociais os relatos enviados pelos pais.

São mensagens como a de Lucas Fontoura, morador de nove anos de Manaus (AM), que ilustrou as emoções passageiras que sente durante o isolamento, como confusão, felicidade e tristeza.

Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Já Alessandra Albuquerquer, de 11 anos, vive em Fortaleza (CE), e diz sentir saudade de abraçar e beijar os avós e sua mãe.

Para conferir outros relatos, acesse o site oficial da campanha. E, para participar, basta postar a foto do desenho, uma fala da criança ou um vídeo dela explicando a mensagem nos stories do Instagram com a hashtag #sentimentosnopapel e o perfil @unicefbrasil.

O órgão recomenda que os pais e responsáveis dialoguem com os filhos de forma acolhedora para que elas expressem como estão se sentindo nesse período.

Continua após a publicidade

Assine a Vejinha a partir de 6,90.

As imagens serão selecionadas e parte delas será divulgada nas redes sociais do Unicef no Brasil, contribuindo para dar visibilidade aos sentimentos de cada criança em tempos de coronavírus.

Várias campanhas têm sido divulgadas pela Veja São Paulo durante a quarentena com a hashtag #VejinhaApoia e envolvem doações de cestas básicas, atendimento médico virtual e até redes de auxílio entre vizinhos. Para conferir a lista de iniciativas, clique aqui.

View this post on Instagram

#sentimentosnopapel: “Eu desenhei isso porque gosto muito de estudar e essa quarentena deixou a gente sem estudar. Então eu resolvi estudar para, quando voltar pra escola, eu estar melhor na leitura, na matemática. Eu me desenhei no quarto com um livro na mão estudando.”Maria Antônia Pena Costa, 10 anos – Fortaleza, CE Convide seu filho a fazer um desenho para contar como ele está se sentindo neste momento e compartilhe no Instagram usando a #sentimentosnopapel e marcando o perfil @unicefbrasil!

A post shared by UNICEF Brasil (@unicefbrasil) on

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade