Busca por pai desconhecido poderá ser feita no Poupatempo

Unidade Itaquera será a primeira a prestar o atendimento, seguida por Santo Amaro, Sé, Cidade Ademar e Lapa

Parceria entre o Ministério Público Estadual e o Poupatempo irá disponibilizar a partir do dia 6 de março serviço para ajudar filhos a obter reconhecimento de paternidade de genitores desconhecidos. A unidade Itaquera será a primeira a prestar o atendimento, seguida por Santo Amaro (20 de março), Sé (27 de março), Cidade Ademar e Lapa (3 de abril).

Mantido em esquema piloto desde novembro do ano passado no Poupatempo de São Bernardo, no ABC, o projeto “Encontre seu pai aqui” recebeu cerca de 220 interessados dos quais catorze tiveram a paternidade reconhecida e a mudança gratuita do documento de identidade. “Ao preencher a ficha a pessoa algumas vezes esquece que está escrevendo para a promotoria e começa a se dirigir ao pai que nunca conheceu. É preciso se segurar para não se emocionar”, diz o promotor Maximiliano Roberto Ernesto Fuhrer, da Promotoria de São Bernardo, que idealizou o projeto.

Promotor Maximiliano Fuhrer: 220 interessados em encontrar o pai desconhecido Promotor Maximiliano Fuhrer: 220 interessados em encontrar o pai desconhecido

Promotor Maximiliano Fuhrer: 220 interessados em encontrar o pai desconhecido (Divulgação/MPSP/)

As unidades vão disponibilizar um balcão onde as pessoas preenchem a ficha com as informações que possui do pai desconhecido. “Às vezes, só detalhes como o primeiro nome da mãe ou a cidade de nascimento já ajuda”, diz o promotor. A ficha é então encaminhada ao Ministério Público que cruza informações disponíveis em diversos bancos de dados para localizar o suposto pai, que é convocado para ser ouvido pela promotoria. Se o reconhecimento é negado, a Defensoria Pública intercede para oferecer teste consensual de DNA. Se nem isso for aceito, o caso é encaminhado para a Justiça. Das 220 investigações conduzidas em São Bernardo, 19 resultaram em exames de DNA, ainda inconclusos, e apenas quatro homens ouvidos se recusaram a reconhecer o filho, de acordo com o promotor Fuhrer.

A ideia de abrir um canal para viabilizar processos de investigação de paternidade veio depois de sucessivas visitas do promotor Fuhrer a escolas públicas onde as mesmas fichas eram preenchidas, mas por mães interessadas em localizar o pai de seus filhos. “O que me chamou atenção é que 80% do público que nos procurou no Poupatempo é formado por adultos”, diz o promotor. Ele estima que existem, no estado de São Paulo, 750 000 cidadãos que não foram registrados com o nome do pai.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s