Clique e assine por apenas 6,90/mês

Bruno Covas decreta situação de emergência em São Paulo

Entre as medidas está a suspensão por tempo indeterminado do rodízio de veículos

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 17 mar 2020, 09h54 - Publicado em 17 mar 2020, 09h37

O prefeito Bruno Covas decretou situação de emergência em São Paulo. A medida foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (17) e estabelece uma série de medidas, entre elas a dispensa de licitação para compra de bens e serviços destinados ao enfrentamento do coronavirus e a suspensão do rodízio de veículos por tempo indeterminado.

Também estabelece que servidores municipais que tenham estado no exterior recentemente trabalhem remotamente. Reuniões e audiências devem ser adiadas ou realizadas à distância. Concursos públicos também estão suspensos.

O prefeito também determinou a ampliação do número de leitos para os casos mais graves; antecipação de vacinação contra a gripe e utilização, caso seja necessário, de equipamentos culturais, educacionais e esportivos para o atendimento de pacientes.

Outra medida será suspender todos os eventos que precisam de alvará da prefeitura para ocorrerem. Eventos que já tiveram alvarás emitidos serão suspensos. Na área do transporte público, o prefeito afirmou que todos os ônibus municipais estão sendo higienizados pelas empresas quando chegam aos seus pontos finais de parada, e motoristas e cobradores orientados a fazer uso de álcool gel.

Continua após a publicidade
Publicidade