Clique e assine por apenas 5,90/mês

Apoiadores de Lula reclamam de falta d’água no Sindicato dos Metalúrgicos

De acordo com a direção da entidade, prédio teve o fornecimento cortado ainda ontem; Sabesp nega ações na região

Por Rosana Zakabi - Atualizado em 6 abr 2018, 17h33 - Publicado em 6 abr 2018, 16h42

Os aliados e militantes que acompanham o ex-presidente Lula no prédio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, tiveram uma surpresa desagradável na tarde desta sexta (6). O senador Lindbergh Farias e outras lideranças do partido afiram que a água do imóvel foi cortada.

Estranhamente, o Sindicato está sem água. Logo hoje? Mas não tem problema: carro pipa existe pra isso!“, reclamou o parlamentar no Twitter. De acordo com a direção da entidade, o fornecimento na Rua João Basso foi suspenso às 23 horas de ontem. Nesse momento, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva já estava no sindicato, onde passou a noite.

Mas o problema só foi percebido no sindicato hoje, por volta das 14 horas, quando a caixa d’água do prédio secou completamente. “É que temos uma caixa d’água grande”, disse um diretor, que preferiu não se identificar. “Ligamos na Sabesp para ver o que tinha acontecido e alegaram falta de água na rua. Mas nunca falta água aqui.” As torneiras voltaram a funcionar há cerca de uma hora.  

O serviço 195 da Sabesp informou que não houve nenhuma manutenção ou ação da companhia na região próxima ao sindicato, mas confirma reclamações de vizinhos sobre a falta de água. De acordo com a companhia, o imóvel tem tubulações antigas e a vazão não é suficiente para a quantidade de pessoas presentes no local.

Um caminhão pipa tenta chegar próximo ao prédio.

Continua após a publicidade
Publicidade