Clique e assine com até 89% de desconto

Amir Khair, ex-secretário de Finanças de Erundina, morre aos 80 anos

O economista, defensor de uma política de juros baixos, não estava doente e faleceu dormindo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 12 set 2020, 10h51 - Publicado em 12 set 2020, 10h20

Amir Khair, secretário de Finanças da cidade de São Paulo durante o mandato de Luiza Erundina (1989-1992), morreu na sexta-feira, 11, aos 80 anos. “Perdi um irmão”, disse a ex-prefeita em suas redes sociais. De acordo com informações da família, o economista morreu dormindo. Ele não enfrentava nenhuma doença grave e mantinha o isolamento social devido à pandemia. Ele deixa dois filhos e dois netos.

Khair criou um sistema de acompanhamento de gestão fiscal para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e, em sua carreira, também atuou como consultor fiscal, orçamentário e tributário. Era considerado um defensor dos juros baixos e de ajustes por meio de corte de gastos, mas com a preservação de programas sociais e a tributação sobre grandes fortunas.

Jilmar Tatto, candidato do PT à prefeitura de São Paulo, escreveu no Twitter que Khair estava ajudando a contribuir com seu plano de governo. “Foi um grande brasileiro”, disse o deputado petista Paulo Teixeira.

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade