Clique e assine por apenas 6,90/mês

Alckmin transfere cargo de governador a Márcio França

No discurso de transmissão do cargo, o tucano lembrou da morte do filho

Por Sérgio Quintella - Atualizado em 6 Apr 2018, 20h18 - Publicado em 6 Apr 2018, 19h38

O agora ex-governador Geraldo Alckmin transmitiu nesta sexta-feira (6) o cargo ao vice-Márcio França (PSB), que ficará à frente do Palácio dos Bandeirantes até pelo menos o fim do mandato, em 31 de dezembro.

No discurso, de cerca de vinte minutos, Alckmin disse que entrega o estado “a um homem leal, honrado, competente e que esteve presente em todos os momentos”, afirmou. Em retribuição, França citou mais de vinte vezes a palavra “lealdade” e disse que São Paulo é uma “terra de quem tem palavra”.

A menção, embora sem ser nominada, foi direcionada ao agora adversário João Doria, também postulante ao Palácio dos Bandeirantes.

Continua após a publicidade

Na cerimônia, além da presença de deputados, secretários e correligionários, estiveram o senador José Serra e o chanceler Aloysio Nunes Ferreira, ambos do PSDB, e o ministro do STF Alexandre de Moraes.

No discurso de despedida, o tucano justificou a ausência da primeira-dama, Lu Alckmin, que está desde a última segunda-feira (2) em peregrinação com destino ao Santuário de Aparecida, no Vale do Paraíba.

Esta é a segunda vez que a ex-primeira-dama percorre a Rota da Luz, em um trajeto de 210 quilômetros, em memória do filho Thomaz, que morreu em 2015, aos 31 anos, em um acidente de helicóptero na Grande São Paulo.

Sérgio Quintella/Veja SP

 

Publicidade