Clique e assine por apenas 6,90/mês

Adolescente de 13 anos é atacada no Parque do Carmo

Menina teria sido atraída pelo agressor a um local ermo do parque, onde foi asfixiada e perdeu a consciência; caso foi registrado como estupro

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 4 Aug 2017, 21h19 - Publicado em 4 Aug 2017, 20h26

Uma adolescente de 13 anos foi atacada por um homem dentro do Parque do Carmo, na Zona Leste da capital. O caso aconteceu na última segunda (31) e foi registrado como estupro no 53º DP.

O pai da vítima contou ao G1 que a menina estava acompanhada dele e da avó no local, mas os três se separaram durante o passeio. Caminhando sozinha, ela teria sido abordada por um homem que atraiu para um lugar ermo – próximo ao portão 2, segundo boletim – sob o pretexto de participar de um protesto contra o fechamento do parque.

Ela desmaiou depois de levar uma gravata do agressor e, quando recobrou a consciência, foi ajudada por pessoas que estavam por perto e levada até seus familiares. Ainda segundo o pai da vítima, ela não se lembra do que aconteceu nesse meio tempo.

Não foi comprovada a violência sexual, mas a menina iniciou o tratamento à base de coquetéis anti-DST e passou por exames no Hospital Pérola Byington.

Continua após a publicidade

Em nota, a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) lamentou o ocorrido e informou que a Guarda Civil Metropolitana agiu imediatamente. O caso foi registrado às 20h29. O texto diz ainda que o parque “conta com 19 vigilantes durante o dia e 12 no período noturno. Abriga um prédio da GCM, que conta com um efetivo de aproximadamente 80 homens que fazem rondas no parque e também na região; a área verde também conta com rondas da Polícia Ambiental”, sendo esse o único caso do tipo desde o início da atual gestão.

Publicidade