Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Homem preso por assassinato afirma ter atirado em Gerson Brenner

Lusimar Jesus dos Santos se entregou após matar um amigo na Zona Leste; Polícia Civil apura diferença entre sobrenome registrado pelo crime do ator

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 19 mar 2018, 18h48 - Publicado em 19 mar 2018, 18h46

A Polícia Militar prendeu nesta segunda (19) um homem acusado de matar um amigo na Vila Curuçá, no extremo Leste da capital. Os oficiais apuram o envolvimento dele no crime que deixou paraplégico o ator Gerson Brenner, em 1998.

De acordo com a PM, Lusimar Jesus dos Santos foi preso enquanto caminhava pela Avenida Águia de Haia, na manhã desta segunda (19). Ele disse ter esganado a vítima após uma briga na casa dele, na Avenida Flamingo, e acompanhou a polícia até o local. O homem foi encontrado já sem vida.

Horas mais tarde, a esposa da vítima foi até o 39º DP e relatou ter sido estuprada. Segundo depoimento, ela conseguiu fugir, mas o marido ficou no local com o agressor. Mais tarde, ela reconheceu Santos como autor do crime.

O caso foi encaminhado para o 67º DP (Jardim Robru). Lá, contou aos policiais que era o autor do disparo que atingiu Brenner na cabeça e que havia cumprido pena e sido liberado no ano passado. Apesar da confissão, a Polícia Civil investiga uma diferença no sobrenome. O homem preso pelo crime e recapturado em 2010 foi registrado como Lusimar Sabino dos Santos.

O ator trocava o pneu no acostamento da Rodovia Ayrton Senna quando foi abordado por bandidos. Após meses em coma, ele perdeu massa encefálica e tem dificuldades de locomoção e fala desde então.

Continua após a publicidade

Publicidade