Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Viajar e Curtir Por Blog Tudo o que é preciso saber antes de embarcar para a viagem dos sonhos

Especial Inhotim, MG: onde comer

Brumadinho é uma cidadezinha de apenas 30 mil habitantes e muitas ruas ainda calçadas e de terra, mas uma boa notícia para quem vai passar alguns dias por lá para visitar as instações do Inhotim é que a oferta gastronômica supera as expectativas. Há pelo menos três boas opções que valem a viagem: Insituto Inhotim […]

Por Júlia Gouveia Atualizado em 27 fev 2017, 11h19 - Publicado em 6 mar 2013, 23h28

Salão do restaurante Oiticia, dentro do Inhotim: receitas caseiras e caprichadas

Brumadinho é uma cidadezinha de apenas 30 mil habitantes e muitas ruas ainda calçadas e de terra, mas uma boa notícia para quem vai passar alguns dias por lá para visitar as instações do Inhotim é que a oferta gastronômica supera as expectativas. Há pelo menos três boas opções que valem a viagem:

Insituto Inhotim
Dentro do complexo do museu as opções são variádíssimas. Há pizzarias, corners de hot dog, lanchonete e omeleterias espalhadas entre os pavilhões. Entre os restaurantes propriamente ditos, o melhor é o Tamboril, aberto todos os dias de funcionamento do Inhotim. O bufê, a preço fixo, inclui delícias como cuscuz marroquinho, medalhão de filé, risotos e salmão com molho de maracujá, além de saladas elaboradas. Outra alternativa é o Oiticica, um bufê por quilo que só abre aos finais de semana.

O bufê de saladas e pratos quentes do Tamboril:a melhor opção dentro do museu

 

Continua após a publicidade

Casa Velha
Instalado em um casarão de fachada ocre de 1940 no distrito de Córrego do Fejão, serve delícias da culinária mineira preparadas em forno a lenha. Entre as opções, tem galinhada, angu com torresmo e couve e uma famosa língua ao molho de vinho. Só abre aos sábados, domingos e feriados para almoço, das 10h às 16h. Fica a uns 40 minutos de Brumadinho.

Comida no forno a lenha: delícias de Minas

 

Continua após a publicidade

Topo do Mundo
No topo da Serra da Moeda, com vistas que se derramam pelas montanhas de Minas, tem uma proposta de aliar receitas moderninhas a ingredientes regionais. Das mãos do chef André Rotonto saem pratos como a truta ao molho de amêndoas e os fondues de queijo, carne e chocolate servidos apenas à noite (a temperatura lá no alto está sempre abaixo dos 20º). Entre as sobremesas, sorvete de queijo Minas com calda de goiabada e banana com farofa de macadâmia. Fica a cerca de uma hora de Brumadinho.

Mesa com vista: as montanhas que se descortinam das varandas do restaurante são seu maior trunfo

 
(fotos: divulgação)
 
 
Continua após a publicidade
Publicidade