Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Humberto Abdo (Maria Carolina Matheus da Silva) Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Suzane Von Richthofen destitui advogado e é atendida pela Defensoria Pública

Suzane Von Richthofen agora será assistida por advogados da Defensoria Pública, profissionais designados a atender pessoas carentes – cuja renda familiar não passa de três salários mínimos. Nesta terça, o processo que trata do inventário de Suzane chegou ao escritório da Defensoria aqui da cidade de São Paulo. Ela trava com o irmão, Andreas, uma […]

Por João Batista Jr. Atualizado em 26 fev 2017, 20h51 - Publicado em 23 set 2014, 17h32
Suzane, detida em Tremembé: rompimento com o advogado Denivaldo Barni (Foto: Reprodução/TV Globo)

Suzane, detida em Tremembé: rompida com o advogado Denivaldo Barni (Foto: Reprodução/TV Globo)

Suzane Von Richthofen agora será assistida por advogados da Defensoria Pública, profissionais designados a atender pessoas carentes – cuja renda familiar não passa de três salários mínimos. Nesta terça, o processo que trata do inventário de Suzane chegou ao escritório da Defensoria aqui da cidade de São Paulo. Ela trava com o irmão, Andreas, uma batalha pelos bens dos pais assassinados. Este será o segundo processo em que Suzane usa advogados públicos. No dia 27 de agosto, o processo de execução criminal passou a ser tocado por advogados públicos. Essa ação corre na comarca de Taubaté, cidade onde cumpre pena no presídio de Tremembé. Suzane afirmou à Defensoria que queria destituir seu advogado de “qualquer representação jurídica”.

+ Suzane não quer ir para regime semiaberto

O advogado em questão era Denivaldo Barni, gravado pelo Fantástico orientando a cliente a chorar durante a entrevista que seria dada ao programa, em 2006. Procurado por VEJA SÃO PAULO, Barni inicialmente afirmou que a Defensoria Pública iria cuidar apenas do processo de execução criminal de Suzane. Confrontado com a informação de que o processo de inventário também está com a Defensoria, ele disse: “Caso encerrado. Não quero falar do assunto.”

Continua após a publicidade

Publicidade