Prefeito de Campinas é expulso de restaurante refinado

Acusado de corrupção, Jonas Donizette foi tirado do Le Troquet pelo chef, segundo testemunhas. Político nega episódio

Na segunda (28), o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), foi expulso do restaurante Le Troquet, um dos mais badalados da cidade, segundo testemunhas. Ele e seus amigos acabaram tirados de lá aos berros pelo chef Henri Sauveur Hirigoyen, dono do lugar.

Chef Henri: recusou-se a servir o político acusado de desviar dinheiro de hospital

Chef Henri: recusou-se a servir o político acusado de desviar dinheiro de hospital (Reprodução/Veja SP)

De acordo com frequentadores ouvidos pela reportagem, Donizette e sua turma foram almoçar no endereço. Logo após um garçom pegar os pedidos das bebidas, o chef saiu da cozinha aos berros. “Para fora daqui, não vou servir político corrupto”, teria dito Hirigoven. Em dezembro, o prefeito foi investigado pelo Ministério Público por supostamente ter participado de um desvio de 4 milhões de reais do Hospital Ouro Verde, em Campinas.

O diálogo teria prosseguido assim, segundo pessoas que também estavam no local:

  • “Você sabe com quem está falando?”, teria dito Donizette, ruborizado de raiva.
  • “Sei sim. E você está falando com o dono deste restaurante. E não vou servir. Vocês estão acabando com este país!”, rebateu Henri, aos berros
  • “Mas você é francês, nem é brasileiro”, disse o prefeito
  • “Mas aqui mando eu. Todos para fora”, concluiu o chef

Procurado pela reportagem, o chef não quis dar declarações. Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Campinas informa:

“Esse episódio não aconteceu. O texto reproduz integralmente o conteúdo de um áudio de WhatsApp que vem circulando de forma anônima. Neste áudio, a pessoa, que não se identifica, diz ter ouvido a história de um terceiro, também não identificado. Diferentemente do que está escrito na nota, o prefeito Jonas Donizette jamais foi acusado de desviar verba de hospital.”

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Daniel M. Pimentel

    Parabéns o Francês !
    Apenas lembrando que o ex-diretor do Departamento de Prestação de Contas da Secretaria de Saúde de Campinas (SP), Anésio Corat Júnior, preso na segunda fase da Operação Ouro Verde, que investiga um suposto desvio de R$ 4,5 milhões na unidade médica, afirmou durante depoimento ao Ministério Público que “estranhava” a forma com que a Vitale Saúde, Organização Social alvo de investigação e que administrava o hospital, transitava na Prefeitura.
    Segundo ele, apesar de ter ligação com a Secretaria de Saúde por gerir o Hospital Ouro Verde, a Vitale também conversava diretamente sobre os repasses que a administração deveria passar à empresa com as secretarias de Assuntos Jurídicos, Finanças, além do gabinete do prefeito Jonas Donizette (PSB).

  2. Preta Rodrigues

    Esse Francês representa o Brasil👏👏👏