Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Jornalista processa Sérgio Camargo após ser xingado e bloqueado no Twitter

Fundador de portal sobre questões raciais foi chamado de "segregacionista, antibranco e defensor de bandidos" por presidente da Fundação Palmares

Por Humberto Abdo - Atualizado em 5 set 2020, 10h19 - Publicado em 4 set 2020, 06h00

Fundador do Alma Preta, Pedro Borges, 28, entrou com duas ações na Justiça contra Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares. Após bloqueá-lo no Twitter, Camargo definiu o jornalista como “vitimista, segregacionista, antibranco, defende bandidos e cultua Marielle (Franco)”. “Temos feito investigações sobre a fundação, esse ataque não foi de graça”, pondera Borges. Criado em 2015, o portal sobre questões raciais cobre o trabalho da instituição e seu dirigente, cujas afirmações costumam causar controvérsias. “Nunca faríamos um ataque pessoal como ele fez. Ele representa um órgão público e é nosso papel como imprensa acompanhar.” Segundo Borges, a fundação sempre ignora pedidos de resposta do site. “Como é que depois vão reclamar sobre determinada posição se nunca prestam esclarecimentos?”, questiona. Até o fechamento da edição, a fundação também não havia respondido à Vejinha.

 

 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 9 de setembro de 2020, edição nº 2703.

Continua após a publicidade
Publicidade