Em turno de doze horas, bombeira é uma das heroínas de desabamento

Maria Devanir de Brito Velloso se mostra uma das trinta mulheres que trabalham no resgate às vítimas Largo do Paissandu

Dos mais de 200 bombeiros que passaram pelo trabalho de resgate às vítimas do desabamento no Largo do Paissandu, aproximadamente trinta são mulheres. Maria Devanir de Brito Velloso, de 47 anos (27 deles na instituição), é apontada pela corporação como uma dessas heroínas.

Em turnos de doze horas, ela encara um trabalho braçal nos escombros. “Por ser mulher, não posso ser mais fraca e virar um ‘peso’. Por isso faço o mesmo esforço físico de meus colegas”, diz. “Apesar do cenário adverso, tenho esperança de encontrar alguém com vida”, afirma.

Maria Devanir de Brito Velloso: turno de doze horas nos escombros do Paissandu

Maria Devanir de Brito Velloso: turno de doze horas nos escombros do Paissandu (João Bertholini/Veja SP)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s