Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Barraco entre brechós de luxo envolve bolsa Chanel falsificada

Escritório de perícia da família de Fernanda Hellmeister, da ClosetCare, deve participar de um processo contra o Santa Mistura, de Diana Marcondes

Por Ana Carolina Soares - Atualizado em 5 abr 2019, 09h53 - Publicado em 5 abr 2019, 06h00

O conhecido escritório de perícia da família de Fernanda Hellmeister, 35, deverá participar de um processo contra o Santa Mistura, brechó de Diana Marcondes (que não retornou as mensagens da coluna). Trata-se de uma acusação de uma cliente pela venda de três bolsas Chanel falsificadas, uma “comprinha” de 35 000 reais. A questão: Fernanda também é dona de uma loja concorrente de artigos de segunda mão, a ClosetCare. “Como sócia do escritório, jamais venderia itens não originais”, diz. Ela afirma que a prática de oferecer produtos piratas é comum nesse mercado. “Há várias reclamações, por exemplo, contra Danielle Maalouli, que até trocou o nome de seu negócio”, alfineta. O discurso de Fernanda causa arrepios nas rivais. “É antiético ela se declarar perita”, rebate Marina Coelho Araújo, advogada de Danielle, que a defende em dois inquéritos que investigam a comercialização de roupas falsas. “Nada prova isso.” Em março, o negócio de Danielle, antes Vintage e Chic 60, mudou para 1808 Vintage, após uma briga com a ex-sócia Renata Galon.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 10 de abril de 2019, edição nº 2629.

Publicidade